sábado, 6 de maio de 2017

[Resenha] Desculpa se te chamo de amor, Frederico Moccia - Desculpa se te chamo de amor #1

Título: Desculpa se te chamo de amor
Autor: Frederico Moccia
Série: Desculpa se te chamo de amor #1
Editora: Planeta
Páginas: 413
Onde comprar: Amazon | Saraiva
"O amor mais bonito é uma conta errada, uma exceção que confirma a regra, aquela coisa para a qual você havia utilizado a palavra nunca."

Alex é um publicitário bem sucedido de 36 anos que já estava prestes a se casar com Elena. Ele vivia sempre a mesma rotina, dia após dia, entre o escritório e seu apartamento, até uma adolescente rebelde e alegre de 17 anos amassar seu carro e virar sua vida de ponta cabeça. Mais do que trocarem números de celular para tratarem os danos do acidente, eles trocaram olhares e sorrisos. E também irritações. Niki é espevitada demais, inconsequente demais, desobediente demais, teimosa demais. Niki é o superlativo em pessoa. Niki não possui limites. Niki é intensa. E é com essa sinceridade exposta que ela, além de conseguir apagar a dor dele por ter sido abandonado pela noiva, vai ensinar Alex a viver novamente. Afinal, não é preciso ter 17 anos para aproveitar a vida. Viver é como usar lentes: você escolhe de que maneira vai enxergar o mundo. 
" – No que você está pensando?
– Nada. Desculpe, mas estou em alto mar. Você é o meu farol. Não se apague."

A história de Alex e Niki é desafiadora. Os 20 anos de diferença entre eles às vezes incomoda, principalmente porque Niki ainda é apenas uma menina. Penso que, se ela tivesse alguns aninhos a mais, a proposta de Federico Moccia não cutucaria tanto a ferida. Porque, embora hoje sejamos mais abertos a toda possibilidade de amor, ainda convivemos com diversos estigmas. Estigmas que devem ser combatidos e destruídos, diga-se de passagem. Moccia fez isso muito bem ao mostrar que, em se tratando de amor, não existem barreiras. Cada um sabe a beleza da história que vive, e, neste caso, é lindo de se ver o quanto Alex e Niki puderam aprender um com o outro da maturidade às esperanças infantis; da seriedade à prática de loucuras e do "amor proibido" à vontade de seguir o coração. Pois, de regras já bastam; o amor não depende delas. O amor é um sentimento livre e puro. Então, por que não seguir sempre a "pátria do coração"?

Entretanto, Desculpa se te chamo de amor merece algumas outras observações. A primeira delas é sobre desagradável tradução. Sério, que horror. Algumas escolhas de termos são antiquadas e muitas delas não encaixam no contexto. Faltou flexibilidade por parte do tradutor, o grande responsável por tornar a leitura maciça e repetitiva. Porque se for para traduzir ao pé da letra, o Google está aí para isso. Cabe ao profissional também ADAPTAR a linguagem. Pelo amor de Deus, né?

Por fim, a segunda observação, é sobre o próprio autor. Apesar de ter sido extremamente feliz na elaboração da história – e de possuir o dom para criar passagem dignas de serem guardadas para a vida – a escrita contém uma quantidade absurda de coisas inúteis. Ou seja, de 400 páginas, 200 são de pura encheção de linguiça. HAJA PACIÊNCIA, VIU, FEDERICO? Não precisava de tanto, querido.

Mas não desistam por conta dos pontos negativos. Desculpa se te chamo de amor merece ser lido, sim. Até porque quem disser que livro perfeito existe está mentindo. 
"A felicidade não deve ser um ponto de chegada, mas um estilo de vida."

Classificação:

17 comentários:

  1. Olá! Eu tenho o livro, principalmente pela capa maravilhosa! Sim, compro livros pela capa sim, me julguem!!! E quero ler em breve. A sua resenha me fez ficar ainda mais curiosa pela história, pois um romance envolvendo 2 personagens com tanta diferença de idade é instigante demais. Sobre os pontos negativos, que pena que a tradução não foi como o esperado e que o autor "enche linguiça" demais... Mas vou ler em breve.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Amei tudo... a capa, a premissa, o autor ser nacional! Dica super anotada!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. OLá linda,

    Eu também tenho sérios problemas com algumas leituras por causa das péssimas traduções e por isso já deixei várias leituras inacabadas.

    Eu leria esse livro por causa desse amor entre pessoas tão diferentes.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu vi esse livro já faz um tempinho e achei bem legal a capa e o título também. Acho que cheguei a ler a uma resenha mas não estou lembrado. Uma pena que você tenha acho a escrita do autor com muita enrolado e bastante encheçao de linguiça. Trabalho gráfico da editora de um arraso. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Realmente um tradução muito ruim deixa a leitura bem truncada, e olha que sou péssima nesse negócio de avaliar uma tradução, então se eu perceber é porque a coisa está tensa, outra coisa que você notou é o encher linguiça, tá aí um coisa que me irrita demais da conta, então melhor passar a dica.

    ResponderExcluir
  6. Já li um livro assim que eram dezenas de páginas de enrolação e olha... como demorei para ler, só prossegui com a leitura por que achei que no fim valeria a pena, e não valeu. Parabéns pela resenha totalmente sincera. Logo que vi a capa jurei que era uma livro da Cecelia Ahern.

    memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  7. Gostei da resenha, mas acho que não iria conseguir ler 400+ páginas se 200 são enrolação. XD (eu demoro horrores para ler, ainda mais livros que só colocam coisa para ocupar espaço) e o problema da tradução é tão sério assim? :( poxa.

    Ultimasfolhasdooutono.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Sempre ouvi falar super bem do autor, mas ainda não li nada dele. Fiquei curiosa e vou ler esse! Adorei a resenha. E essas fotos lindas!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  9. A capa do livro e uma graça, infelizmente essa grande diferença de idade entre os personagens e toda essa encheção de linguiça me tirariam do sério. A primeira, porque eu tempos atuais tratar uma relação assim como corriqueira e normal meio que me incomoda. E o segundo porque não tenho paciência msm para aturar isso mais em livros não... coisas desnecessárias sempre cansam demais... rs... Então eu não leria, já não conhecia o livro nem o autor, me deparar com seus prós e contras me fizeram notar que não sou o público dele... rs

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  10. Sempre via a capa desse livro e ficava pensando sobre o que era, mas nunca tinha ido atrás para de fato saber, sua resenha acaba de me ajudar a descobrir, me parece ser uma boa história para ler no tempo livre, coisa que no momento está tipo impossível. Valeu pela dica.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite
    Um tema um pouco polêmico hein, o proibido sempre acaba chamando a atenção!!
    Não é bem o meu tipo de leitura, mas gostei da sinceridade na sua resenha, gostou da história mas expôs os pontos negativos. Parabéns

    ResponderExcluir
  12. Eu sinceramente não sei se gostei desse livro, me pareceu muito clichê - e olha que costumo costas deles. Além do mais, tenho problema com história com muita encheção de linguiça, sabe? Mas vou anotar a dica para um outro momento.

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Ainda nao li nada dele, mas parece ser uma linda história, quero ler o mais rápido possível. Obrigada pela sinceridade na resenha!

    ResponderExcluir
  14. Oiii!

    Eu tô com dois livros do autor (inclusive esse) mas não li ainda. Gostei bastante da sua resenha, mas vou demorar pra ler só por motivos de muita enrolação hahahah.
    Gostei da sua sinceridade.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Oi Bru! Que diferença enorme de idade! Tipo, isso me incomoda um pouco. Te confesso que a premissa não me agradou, não seria o tipo de história que eu leria. É chato quando pegamos páginas só com enrolação, peguei um livro assim e deu vontade de chorar rsrsrs Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá! Gostei da sua resenha, foi sincera ao máximo e isso é raro nos blogueiros literários. Gostei muito em conhecer essa obra, apesar das suas 400 páginas rs. Daria uma chance sim, pois notei que os personagens são bem intensos, mas minha fila está gigante e vou deixar de lado.

    ResponderExcluir
  17. Olá Gabi!!!
    Apesar de Federico ter dois livros que estou louca para ler dele, ainda sou um pé atrás com suas obras e não sei se aguentaria as 200 páginas de "encheção de linguiça" pois normalmente isso me desmotiva numa leitura. Porém, não nego que a história tem um interessante pra se chamar e talvez arriscar.
    A resenha foi bem escrita e sincera, parabéns!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir