quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

[Resenha] Pseudônimo Mr. Queen, Loraine Pivatto

Título: Pseudônimo Mr. Queen
Autora: Loraine Pivatto (cortesia)
Editora: Independente
Páginas: 404
Onde comprar: Amazon

Pseudônimo Mr. Queen, é um livro que se passa num futuro distópico. No dia 21 de dezembro de 2012 o ano acabou, mas não da forma como imaginávamos que aconteceria. As cidades ficaram devastadas, ruas vazias, mas a população não foi dizimada, restaram algumas poucas pessoas vivas.

Entre esses sobreviventes temos Regina Brandão, uma mulher que faz aniversário no dia em que o mundo acabou e que achou que tinha uma vida ok até, pouco antes de tudo acontecer, descobrir que seu marido a traia com sua melhor amiga e que seu pai estava certo quando dizia tudo o que pensava sobre ela.

Os sobreviventes receberam uma bênção, por assim dizer. Eles teriam o direito de viver duas vidas: a primeira até os 70 anos e a segunda de 20 até 100. Desigualdade? Não existe mais. As pessoas terão uma vida saudável e não poderão interromper suas vidas. Todos receberão as mesmas oportunidades e caberá a cada um escolher o que gostaria de ser.

Seria um mundo perfeito se as pessoas soubessem viver dessa forma e aceitassem a igualmente, mas elas preferem encontrar sempre alguma forma que a tornem melhor. Se não for o dinheiro, serão classificações dentro da sociedade – através da profissão e nível em que se encontra. 
“Parecia que os comportamentos egoístas e individualistas se repetiam, apenas maquiados por um senso de justiça questionável.”

Já li vários livros distópicos, mas nunca tinha lido um livro como esse. Ele é realmente interessante, afinal, quem não sonha com um mundo igualitário onde todas as pessoas têm acesso a tudo e não existe aquilo de “eu sou melhor que você, porque tenho dinheiro” ou “tenho mais privilégio que você”. Sempre sonhei com isso, mas esse livro me fez pensar que, mesmo que tenhamos um mundo assim, as pessoas buscarão, de alguma forma, se mostrar melhor que o outro, pois isso parece estar inserido no gene do ser humano.

Entretanto, não pensem que a estória girará apenas em torno da busca do ser humano por parecer melhor que o outro, não, o livro também aborda temas como depressão, compulsões alimentares, paixão platônica e a busca da resposta da morte. Pois é, apesar de as pessoas não poderem interromper suas vidas, umas poucas pessoas conhecem o segredo para isso e precisam impedir que isso cair em mãos erradas.

O livro é muito bom e a estória bem original, mas sinto que faltou um pouco de trabalho em algumas questões e que a autora poderia ter encurtado outras. A leitura começa de uma forma bem lenta enquanto somos introduzidos a esse novo mundo e isso pode fazer alguns leitores desistirem do livro.

Apesar de o livro ter esses pontos negativos, Pseudônimo Mr. Queen é uma obra que vale muito a pena ser lida e que fará o leitor refletir sobre o que costumamos fazer, como queremos nos mostrar para os outros e se a vida, além do que temos dentro de nós, realmente importa.

Classificação:

17 comentários:

  1. Oi, Bruna! Que resenha empolgante, esse livro é daqueles que nos fazem refletir sobre a vida num todo, gosto por demais de obras assim. Parabéns pela resenha Bruna, ficou detalhada e objetiva, você soube mesclar as duas numa só. Disseste o essencial e ocultou o que não se pode revelar, senão daria spoiler. Abração!!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bru!
    Sua resenha só me fez reforçar um pensamento que eu tenho: o problema não está no mundo, está nas pessoas.
    Parabéns por mais uma linda resenha!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Oi querida! Adorei a sua resenha, muito bem escrita, e como o seu amigo falou você soube ser objetiva e detalhista na medida perfeita :-)
    Muito obrigada por divulgar o meu trabalho, viu? Vc é um doce de pessoa e adorei te conhecer. Grande beijo

    ResponderExcluir
  4. Lá vem você de novo com essas resenhas maravilhosas, acho que por trás desses pontos negativos, esse livro tem uma ótima história de reflexão pra contar.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Que resenha fantástica, de início não me cativei pela obra, mas sua resenha me prendeu do começo ao fim, e agora eu PRECISO desse livro.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Olá amore,
    Adoro distopia, então fica fácil gostar desse livro né.
    Acredito que esse livro traz uma reflexão muito grande pelo que li em sua resenha, então já quero ler, é claroooo...
    Dica anotada!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruna, tudo bem?

    Eu sou fissurada por distopias, acho que é um dos gêneros que mais chamam a minha atenção. Fiquei curiosa para conhecer como a autora estruturou essa sociedade em que todos possuem direitos iguais, pois isso foi algo que sempre desejei. Mas, assim como a autora, acho que as pessoas não se contentariam, elas sempre querem mais, infelizmente. Sua resenha está fantástica e me deixou louca para ler a obra. Dica mais que anotada!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Bruna,

    Distopias costumam ser previsíveis e cheias de clichês, mas esta parece ser diferente uma vez que é uma sociedade aparentemente "justa" e sem um governo ditatorial, estou muito curioso para ler. Grato pela dica.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá, apesar de distopias não ser muito o meu gênero literário após ler a sua resenha, achei este interessante abordando temas tão complexos na sua trama, é um livro que adicionarei na lista de metas para este ano.

    Beijos o/

    ResponderExcluir
  10. Olá! Já li esse livro e amei a história. É uma distopia bem diferente, principalmente em relação a contagem de tempo. Sem contar o mistério que a autora criou. Beijos

    ResponderExcluir
  11. Nunca tinha ouvido falar da obra (não que eu lembre) , mas a capa é muito familiar. Gostei muito do enredo e da originalidade que a autora imprime em sua história. Alguns livros começam bem lentos mesmo e o importante é que a história de uma acelerada depois (né nón?). Me interessei muito pelo livro e vou procurá-lo para ler principalmente por que sou fã de distopias. Dica mega anotada! Beijos do Wes ^_^

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Gente que livro interessante, adorei as questões que a autora levantou para criar esse enredo. Eu bem queria viver em um mundo igualitário mas concordo com ela nunca será possível pois os humanos tem mesmo necessidade de se mostrar maior que o outro. Que pena isso, poderíamos ser bem mais felizes.
    Resenha perfeita Bruna
    E parabéns pelo livro Loraine Pivatto
    Beijuh

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Adoro livros distópicos, e gostei muito da sua resenha, por isso já adicionei a minha lista de quero ler.
    Realmente o ser humano está sempre tentando superar o coleguinha, isso é o que vai acabar com o mundo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Distopia é um dos meus tipos de livros favoritos, gostei muito da resenha, vou adicionar na minha lista de livros que quero ler.
    Um livro com temas que vivemos hoje em dia e sempre viveremos.
    Adorei seu blog, já estou seguindo, venha conhecer o meu também
    Marília Merlino Blog
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá!!

    Esse livro parece ser incrível!!! Pela resenha que escreveu apesar de alguns pontos o livro parece ser aquele que te prende o leitor do inicio ao fim. Eu conheço esse livro porque deve uma época que a autora esta fazendo book tour, mas infelizmente eu não consegui participar. Espero consegui ler logo!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Que resenha sensacional, gostei da temática da obra, creio que o problema esteja na humanidade. Mas creio que seja dos que te prendem do início ai fim.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu sou fissurada em uma boa distopia.
    Achei a abordagem desse livro interessante, pois ele mostrará que o grande problema é o comportamento humano. Eu sempre acreditei que uma sociedade igualitária estável fosse uma utopia, pois o ser humano não aceita ser igual, sempre busca a superioridade. Teoricamente vivemos em um modelo de sociedade que diz que todo cidadão brasileiro é igual, sem distinção de classe, credo, etnia e etc etc... mas sabemos que na prática isso não ocorre, quantas vezes ouvimos: "Com quem você pensa que está falando?".
    Amei a premissa desse livro e quero muito lê-lo, apesar dos pontos negativos que você citou.
    Abs e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir