segunda-feira, 13 de junho de 2016

Vamos conversar sobre eutanásia?


Antes de você começar a ler esse post, caso não tenha lido o livro Como eu era antes de você, receberá grandes spoilers.

Vocês já devem ter se deparado com a polêmica que está rondando Como eu era antes de você. "O final é um mau exemplo", estão dizendo. Sério mesmo? Foi a Jojo Moyes quem criou a eutanásia? Foi ela a primeira a estrear o assunto no mundo da ficção?

Como eu era antes de você não é o primeiro livro/filme a abordar o tema do suicídio assistido. Deixe de indignação seletiva. A eutanásia existe há muito antes disso e vai continuar existindo.

Este é um assunto muito delicado, entendam. Cada um tem o direito de pensar o que quiser, até porque cada um tem uma crença, uma percepção diferente do que é Vida. Pessoas discordam, médicos discordam o tempo todo. Não é à toa que cada país tem uma lei distinta da outra.

Eu tenho a minha posição. Tenho uma concepção de "viver" muito ampla. Então não levem a mal meu exemplo, a seguir.

Fique você o resto da vida numa cama mexendo apenas os olhos. Fique você assistindo o sofrimento da sua família. Fiquei você dependente o resto da vida dos outros para comer, tomar banho, etc. Fique você vendo a pessoa que você ama todos os dias e não podendo tocá-la, não podendo fazer tudo que tem vontade de fazer com ela... Fique você tetraplégico.

Com todo meu coração, não acho que isso seja vida. Viver para mim é mais do que apenas respirar.

Quem leu o livro, sabe que Will Traynor pensa como eu. Sabe que, para ele, a vida acabou depois do acidente.

"Ah, mas eu achava que a Lou ia fazê-lo mudar de ideia."

É, eu também achei. Mas pensando bem, tirar a própria vida foi a coisa mais corajosa que ele fez. Foi a maior prova de amor que ele poderia ter dado a Louisa Clark.

Porque Will amava Lou. Amava tanto, que seguiu em frente para permitir que ela experimentasse o mundo, a vida. A vida que ele também gostaria voltar a ter.

Will Traynor fez a escolha dele. E não o culpo. Para mim, isso tampouco é Vida.

Vida é mais complicado. Penso que Viver é mais do que respirar.

Você tem todo o direito de discordar do meu ponto de vista, é claro. Mas não critique o final sem antes refletir, DE VERDADE, sobre o suicídio assistido. Isso é coisa séria. Isso é polêmico. E não é recente.

Então, por favor, não critique a Jojo - principalmente se não leu o livro. Ela passou os valores dela para a história. Ela quis mostrar para todos nós que temos e podemos fazer escolhas. Seja corajoso para fazer a sua. Faça o que acha que é certo, que é justo. Porque no final, o que é importa é estamos em paz com nós mesmos.

28 comentários:

  1. Boa tarde, ando antenado nas notícias e não tenho visto essas críticas quanto a eutanásia, mas infelizmente alguns livros vieram para serem assim, para lidar com algumas ações que são discordantes entre os leitores.
    Lembrei do filme Menina de Ouro, o drama da lutadora após ficar tetraplégica, vendo sua vida definhando e sem futuro. São decisões difíceis de serem tomadas, muitas vezes acreditamos que há uma chance remota de que aquilo se reverterá, mas somente quem está ali sabe o que está passando.

    ResponderExcluir
  2. Oie...
    Parei de ler exatamente quando você mencionou o spoiler rsrs...
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não li o livro e nem assisti o filme, mas já vi algumas pessoas criticando, tô querendo muito assistir, beijoooos!!!

    http://realcedagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Concordo exatamente com seu ponto de vista, e a propósito, parabéns pelo excelente texto. Não é de hoje que a eutanásia existe, mas sabe né, quando uma historia começa a ser tão comentada, sempre vai ter aqueles que vão pelo lado negativo. Ele foi mesmo muito corajoso e eu compreendi bem isso, porque a Jojo demonstra essa intenção na obra.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  5. Eu deveria ter parado de ler quando você falou do spoilers. Eu ainda não li o livro e o comprei para ler. Ainda não chegou. Não acredito que agora sei o que acontece no final....e perdi a coragem de ler. Acho que você poderia ter falado do assunto sem mencionar qualquer livro como exemplo. Tenho certeza de quem já tivesse lido a obra saberi do que você estava falando e quem ainda não não ficaria como eu. rsrs.
    Mas isso acontece
    Eutanásia é realmente um tema muito doloroso de ser tratado. E o mundo anda cheio de Mínimo que tudo é cupa de quem escreveu o livro, dirigiu o filme. E esquecem que são coisas reais que acontecem diariamente por aí e que só não vemos.
    Bj

    ResponderExcluir
  6. Jamais criticaria a Jojo em função do tema. E achei heroico e extremamente humano o personagem ter o poder da escolha e mesmo apaixonado, manter aquilo que já havia decidido, até visando a felicidade da Lou. Porém é um tema que eu particularmente não quero ter que pensar. Não quero me imaginar na situação ou imaginar uma pessoa amada na situação e refletir se faria a mesma coisa ou não. Existem outros livros que abordam o tema tb e o meu primeiro contato com o assunto dentro do universo literário foi o perfeito Nada Dura Para Sempre - do Sidney Sheldon, onde uma médica é acusada de matar o seu chefe que a perseguia, mas na verdade, ele havia pedido isso à ela, por causa que descobrira ter uma doença sem cura.
    Adorei o post.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oie, bruna, concordo com você que cada um tem suas escolhas e é livre para fazê-las, o mundo seria um lugar péssimo se não pudéssemos, então Will percebeu que mesmo com o amor da lou não seria suficiente para ele, porque nós precisamos primeiro nos sentir bem com nós mesmos para depois queremos nos entregar a alguém. Boa reflexão.

    ResponderExcluir
  8. Esse assunto é muito importante tocarmos! Pois hoje em dia tem gente que não se dão conta do que estão fazendo e só de pensar fico com um nó na garganta e um aperto no coração... Quero ler e espero poder desfrutar em breve.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  9. Oi
    Concordo que essa é uma atitude super corajosa. Realmente foi um ato incrível de Will. Acredito que a Eutanásia ainda é um tabu, mas aos poucos estamos vendo novas informações e alcance. Precisamos falar, por mais que seja difícil.
    Adorei suas considerações sobre o tema.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Bom, eutanásia é um tema bastante delicado. Concordo com você quando diz que viver é muito mais do que simplesmente respirar mas quando o assunto é praticar o suicídio assistido acho mais difícil definir a minha opinião, afinal é da vida de outras pessoas que estamos falando e das decisões delas de continuar ou não vivendo. Acho que eu só teria uma opinião formada com convicção se vivesse a mesma situação.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá, como você mesmo disse, trata-se de um assunto delicado e polêmico! Poderia escrever um texto enorme para afirmar meus argumentos, mas, ao invés disso, prefiro ser mais breve.
    Minha opinião é contrária à eutanásia por inúmeros motivos. Entretanto, em uma coisa eu concordo com você: A vida vai além de piscar e mexer o olhos, a vida é o dom mais precioso que Deus nos deu e precisamos fazer jus a essa missão!
    Grande abraço, Filipe Penasso - Pena Pensante

    ResponderExcluir
  12. Oiee Gabi ^^
    Eu não cheguei a ver essas críticas sobre o livro/filme da Jojo, mas não sei bem se as pessoas têm o direito de opinar sobre isso. Acho que, se você é contra, não faça, mas não opine na vida dos outros que são a favor... Sei lá... Concordo com você, viver não é só respirar, é muito mais do que isso, e não sei se valeria a pena viver do jeito que o Will vivia.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá! Confesso que fiquei super chocada quando li o livro e vi que Jojo introduziu o suicídio assistido na obra, e meu lado romântico (e da saúde, pois curso Fisioterapia) torcia para que Will mudasse de ideia e ficasse com Lou. Mas quase chegando no final parei para pensar em quão ruim era a vida dele e de tantas outras pessoas tetraplégicas, que elas pensavam normalmente mas o corpo não respondia e, se elas não gostavam da "vida" delas, tinham sim o direito de optar pelo suicídio assistido. Concordo plenamente com você. Beijos.

    thehouseofstorie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Apesar de ter recebido sopilers (dos quais não gostei nadinha </3), fui até o fim do seu post. Concordo com você, também acho que viver é mais que respirar e ser tetraplégico não deve ser nada fácil. Mesmo sem ter lido o livro, através do seu comentário compreendi a mensagem que a autora quis deixar.
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu já li o livro e o final em si não me incomodou. Will fez o que achou certo.
    Viver para depender dos outros, para ficar preso em uma cadeira/cama, não é viver.
    Concordo com você, viver é mais do que respirar. Eu teria tomado a mesma decisão que ele, sem dúvidas.
    Espero que as pessoas apreciem o filme e não fiquem criticando a Jojo. E espero assistir a obra essa semana :3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi linda,

    Muitas vezes as pessoas se perguntam se eu sou humana. Mas por que Jo? Porque não tenho essa tentativa remota de tentar "mostrar" a pessoa que a vida vale a pena ser vivida. Se olhamos bem claramente não existem mesmo motivos para querer prolongar nossa existência nesse mundo...muitos dilemas, problemas pessoais, familiares, sociais e por aí vai e vem uma tragédia que coloca mais peso na qual a pessoa não aguenta de forma alguma.
    As pessoas não são eternas. Ninguém e se ela quer terminar sua existência aqui, que faça isso e fique em paz. Não gosto é das pessoas falarem clichês e frases bestas para motivar os outros...isso não funciona. A mente humana é um caos que só o indivíduo consegue compreender e muitas vezes muito mal.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. OI!

    Gostei da sua reflexão e do seu ponto de vista, entretanto como mesmo retratado o conceito de vida não é único e universal então decidir sobre a vida e a morte é um paradoxo que requer pesquisas de diversos setores, então, não sei qual seria minha postura. Afinal, isso é um assunto complexo e quem vivencia pensa diferente de quem acompanha aquele que esta vivendo a situação. Não critico a Jojo e sim, o Wil foi corajoso, mas ele também não deixou de ser egoísta se analisarmos pelo paradigma daqueles que o amavam.... enfim, esse não é um assunto simples e construir opinião requer rever e avaliar situações constantes e diferentes.... Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oie!
    É interessante como as pessoas sempre veem o lado negativo de qualquer história. Mas esquecem de ver a parte boa, sobre o amor de Lou em aceitar a escolha de Will, mesmo não concordando. Ela proporcionou um bom momento para Will, e mesmo não aceitando o que ele tinha escolhido, ela não deixou de amar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  19. Olá...

    Eu li o livro e tenho o mesmo pensamento seu e de Will, também acho que viver é mais do que apenas respirar, respirar e apenas sobreviver, e uma pessoa nunca sera feliz só sobrevivendo, como Lou eu ficaria devastada se eu tivesse na situação dela, porem veria plenamente o lado de Will, ele queria sim viver o felizes para sempre com ela, mas ele não podia, pois ele seria sempre o "Fardo" aquele que deveria ser cuidado, e para alguem como ele que sempre viveu seus dias como se fossem os ultimos ele não poderia suportar nunca mais ter aquela sensação de estar vivendo e aproveitando sua vida, de não estar com a mulher que amava plenamente sem amarras, se eu fosse o Will, bom eu faria o mesmo e concordo plenamente contigo, uma pessoa só pode julgar errado oque ele fez se ela tivesse vivendo isso, se ela tivesse que suportar toda a dor constante pelo resto de seus dias, sem saber a qual hora pode pegar uma simples gripe que ira mata-lo sem piedade...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Li o livro, mas ainda não tenho uma opinião formada a respeito do final. Sei que a eutanásia é algo muito difícil de lidar e o Will tinha uma vida antes de ficar tetraplégico, então a autora tomou a melhor decisão que ela conseguiu para passar a mensagem dela. Entendi o lado dela no livro e se o final fosse diferente não criticaria também. O importante foi que ele amou a Lou de verdade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. ainda não li o livro e de forma alguma isso me afeto por ao contrário me incentivou ler ainda mais mesmo que eu saiba o grande final, e assim e penso que nem vc a vida não é simplesmente respirar e para mim ele foi muito corajoso.

    ResponderExcluir
  22. Oi!
    Eu não li Como eu era antes de você, mas já sabia como a história termina e realmente o livro traz questões bastante delicadas. Tive algumas aulas sobre o assunto no início do meu curso, mas mesmo com as discussões não consegui chegar a uma conclusão sobre o correto. Pra mim a situação varia para cada pessoa, mas a opção da eutanásia deve existir para se a pessoa escolher esse caminho.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Oiii!!

    Eu ainda não li os livros e nem assisti ao filme, mas quero fazer em breve.
    Eu não vi nenhum textão sobre o final mas vi algumas pessoas reclamando deles. Acho que é ficção, o que aconteceu é que hoje, com o número é novos leitores, influenciáveis por tudo, é um pouco perigoso qualquer tema . Mas não significa que pq ela escreveu que o número de eutanásia vá aumentar. É uma pena que as pessoas não saibam diferenciar as coisas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Oi,flor.

    Que tema polêmico, hein? kkkkkk Olha, eu não li o livro, nem vi o filme. Eu já sabia que ele ia morrer, visto que peguei um spoiler e fiquei muuuuito desanimada. Uma pessoa me disse as mesmas coisas que está no inicio do seu post: " ah, o final é um mau exemplo" "não ensina nada para os jovens".... Eu olhando por fora, tipo, alguém que não leu o livro, até concordo com tal pessoa. Pq tipo, eu só sei q ele se matou e mais nada. Mas saliento que não li o livro e só lendo pra saber o que realmente aconteceu e pq Will tomou essas decisões. Amei o post!

    beijos,
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  25. Olá!
    É um assunto bem polemico, mas eu não culpo o Will, acredito que ficar em uma cadeira o dia todo sem poder fazer nada, só olhando as pessoas ao seu redor fazerem as coisas e você depender delas é uma tortura, não é uma decisão fácil ele foi muito corajoso ainda mais quando conhece a Lou e se apaixona. Não é fácil, e acho muito egoísta da parte de outra pessoa tentar convencer a viver, sendo que ele está infeliz, sendo que a vida dele não vai mudar. Enfim, eu acredito que tenhamos que nos colocar no lugar da pessoa e não ficar julgando e apontando o dedo.

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  26. Oi, no momento que vi voce mencionando "spoiler", eutanásia e " como eu era antes de você" eu parei de ler a postagem, pois ainda não li e nem assistir o filme rs

    ResponderExcluir
  27. Olá!

    Eu concordo em partes com você, que cada um tem direito a escolha e que o ato pode ser justificado pelo amor e a libertação que ele ofereceu a ela. Mas não consigo deixar de pensar que possa passar desesperança para quem está nessa situação, mas que ainda quer continuar, não quer abrir mão dos pequenos prazeres como o Philippe do livro/filme Os Intocáveis, que transmite a esperança mesmo na situação extrema. Enfim, acho que é esse o ponto que mais incomoda.

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  28. Olá, tudo bom?

    Esse é um tema polêmico, mas nem por isso não devemos debatê-lo. Primeiramente parabéns por trazer o tema à tona e nos permitir o debate, além de nos mostrar sua posição em relação à ele. A minha opinião sobre o assunto é a mesma que a do aborto: cada um é dono do seu próprio corpo e pode decidir o que fazer com ele. Eu posso encher a minha boca agora e falar que eu não faria um aborto ou decidiria por eutanásia, por conta das minhas crenças sobre a Vida (nada relacionado a religião, diga-se de passagem), porém eu não vivi situações em que eu possa fazer essa escolha. Eu acho que é tudo relação a escolhas, sabe? Você tem que ter a opção de fazer aquilo que quer em relação a própria vida e o próprio corpo, já que só ele que irá sofrer.

    As vezes penso que é uma atitude covarde tirar a própria vida, tomando o caminho mais fácil e deixando as pessoas que amam sofreram as consequências de suas perdas. Porém depois me lembro que há situações em que a pessoa não vê outra solução e toma uma atitude corajosa para que as pessoas que amam possam viver as suas vidas sem o "peso" (não que elas pensassem assim) nas costas.

    Não julgo o Will (apesar de não ter lido o livro) e sei que foi preciso muita coragem para desistir da mulher que ama e dar para ela uma vida de liberdade.

    Enfim, ótima postagem.

    Beijos.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir