sábado, 25 de julho de 2015

A Hora da Tormenta - Luis Maldonalle

A rotina da pequena Brave Rock é virada de ponta-cabeça quando um enorme tornado F5 SODOMA desponta e transforma o céu, obliterando por completo aquele sábado ensolarado em que a cidade completaria 128 anos. Em meio ao caos, conflitos e intrigas permeiam o cerne deste trágico livro, que alternando entre ódio e violência, usa o egoísmo e os interesses pessoais do grupo, conhecido como fab four, como palco para uma rica trama, tendo a tragédia e o horror como protagonistas. Luis Maldonalle nos conta, com riqueza de detalhes, todo o drama vivido por personagens profundamente humanos, em diálogos ásperos envoltos por um cenário aterrador. Viaje até BRAVE ROCK e veja a esperança rodopiar como um enorme parafuso negro. “SOBREVIVENTES DE TORNADO MORTAL NOS EUA VASCULHAM DESTROÇOS”. “TORNADOS EM SÉRIES PROVOCAM MORTES E PÂNICO NOS ESTADOS UNIDOS”.


A Hora da Tormenta se passa em Brave Rock, uma cidade dos Estados Unidos. A história se inicia com um boletim informativo do tempo e notícias de tornado que já atingiram a região.

O livro não possui um personagem principal, portanto, somos apresentados a diversos personagens em diversos momentos de suas vidas – e isso me fez lembrar muito Sob a Redoma do Stephen King e Morte Súbita da J.K. Rowling.

A cidade é regida por um fab four, um grupo de quatro homens, composto por Horace Cale (milionário), Bill Warren (ex-prefeito), Tommy Gunther (coronel) e Tim Woodley (xerife), que se acham donos da cidade. A volta de Flack Reedman, filho do ex-xerife, faz as coisas ficarem conturbadas, mas, o bem da verdade, é que ele não está nem aí.

A trama, carregada de dramas vividos pelos moradores da pequena cidade, é muito bem explorada. Navegando entre a corrupção na política, primeiro amor, problemas religiosos, doença e sacrifício. Os personagens que Maldonalle criou são cativantes e sabemos quem precisamos odiar, de quem devemos ter e para quem devemos torcer.

Aparentemente, todos os acontecimentos relatados pelo narrador são comuns, brigas entre filha e mãe e discussão entre o fab four e outros moradores da cidade, por exemplo, com exceção da festa que acontecerá em homenagem ao aniversário da cidade. Alguns moradores estão animados e até com grandes expectativas, mas talvez a festa não saia conforme esperado.

Como disse anteriormente, o livro não possui um personagem principal, portanto, fica muito difícil escrever uma resenha sem dar foco para um personagem e deixar os outros de lado. A trama é muito boa e foi bem pensada, mas, em alguns momentos, senti falta de algo a mais. Trata-se de um livro de ficção/terror, então, tudo o que encontramos na história se encaixa perfeitamente no contexto do livro, mas senti que 85% dos personagens desse livro são pessoas más. Pessoas que não se importam com o próximo e algumas que não respeitam nem pai e mãe. E talvez essa seja a verdadeira natureza do homem.

Ao mesmo passo que isso me incomodava, eu ficava tentada em saber o que iria acontecer e isso foi angustiante, então, após pegar o ritmo do livro, a leitura passou a fluir de forma rápida e eu o devorei em poucas horas. O que achei mais incrível nesse livro foi ver como os destinos dos personagens se cruzavam, página após página, e também o fato de que o Maldonalle conseguiu amarrar todas as pontas e dar uma laçada final que me fez ficar satisfeita e feliz.

Mesmo que o livro tenha me lembrado Stephen King e J.K. Rowling, notei que o Maldonalle tem um jeito de escrever próprio e conseguiu dar vida a todos os personagens. Recomendo essa leitura para todos aqueles que gostam de um livro ficcional e de terror, pois, em diversos momentos, ele irá te assustar.

Informações Adicionais:
Título: A Hora da Tormenta
Autor: Luis Maldonalle
Editora: Autografia
Páginas: 306
Classificação:


Cedido em parceria com o Autor.

6 comentários:

  1. Oi Bru!
    Nossa, acho que é a primeira vez que leio uma resenha de um livro que não tem um personagem principal (pois é). Nem consegui terminar de ler Morte Súbita, de tanto que odiei as páginas que consegui ler. Gostei muito da forma como se expressou a respeito dos personagens desse livro. E adorei a forma como falou do geral, mas confesso que não sei se leria esse livro.
    Beijos
    Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tha,
      É interessante isso né? Ele lembrou Morte Súbita, mas, posso afirmar com certeza, que foi muito melhor!
      Eu gostei bastante dessa leitura :)
      Beijos
      http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

      Excluir
  2. Adorei a resenha e achei muito interessante o conteúdo do livro.
    Abraços.
    http://www.oraculodeelfos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giulia,
      Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos ♥

      Excluir
  3. Oiee
    Adorei a resenha o livro parece muito bomm *0* Já quero ler
    Beijinhos Screepeer
    http://screepeer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ágatha,
      De fato, a história é muito boa, acredito que irá gostar.
      Beijos

      Excluir