sexta-feira, 16 de junho de 2017

[Resenha] Nossos dias infinitos, Claire Fuller

Título: Nossos dias infinitos
Autora: Claire Fuller
Editora: Morro Branco (cortesia)
Páginas: 336
Onde comprar: Amazon | Livraria Cultura | Saraiva

Nossos dias infinitos foi um livro que me conquistou pela capa, encantou com a sinopse e fascinou pelo conteúdo. Nesse curto livro conhecemos a história de Peggy, alternando entre o passado, quando tinha 8 anos de idade, e o presente.

Peggy, que muda seu nome para Punzel, vivia com o pai e a mãe, uma famosa pianista alemã, em Londres. Eles tinham uma vida boa, seguiam uma rotina, mas as coisas entre seus pais não pareciam estar indo bem. Seu pai acreditava que o mundo estava prestes a terminar, mantinha reuniões regulares com alguns colegas que acreditavam o mesmo e fazia treinamentos com a Peggy cronometrando o tempo que ela levaria para pegar suas coisas e levar para o abrigo que existia ao redor de sua casa, que o pai havia construído.

Apesar desses pequenos problemas, tudo ia bem até a mãe de Peggy ir viajar para uma turnê. Assim que a mãe saiu a menina e o pai começaram a acampar no quintal de casa e, alguns dias depois, chegou Oliver Hannington, um amigo do pai. A chegada desse amigo foi bem vista por um tempo, mas depois começou a gerar problemas e, num dado momento, o pai de Peggy a pegou e foram embora. Após muito tempo de viagem, chegaram a die Hütte, uma cabana no meio do nada que prometia ser a salvação deles, pois o mundo havia acabado e todos haviam morrido à exceção dos dois
“Eu não tinha ideia de que aquela mulher encarquilhada, enrugada e de olhos inchados, parada do lado de fora do seu celeiro com uma vaca presa a uma corda, seria a última pessoa do mundo real que eu veria pelos nove anos seguintes. Se soubesse, talvez tivesse me agarrado às pregas da saia dela, prendido os dedos na faixa de seu avental e passado os joelhos em torno de uma de suas pernas fortes. Se estivesse grudada nela, como um marisco ou um gêmeo siamês, ela iria me carregar quando acordasse para tirar leite da vaca oi fosse até a cozinha para preparar o mingau. Se eu soubesse, talvez nunca a tivesse largado.”

É uma trama muito confusa, pois não sabemos no que acreditar. Ela alterna entre o presente (Novembro de 1985) e o passado, portanto, desde o primeiro capítulo nós sabemos que o mundo não acabou, então, ficamos curiosos para saber por quanto tempo Peggy ficou reclusa, o que fez o pai fazer isso, onde a mãe estava e tudo o que aconteceu nesse período. O fato de Peggy não ser confiável é cada vez mais evidente e ler esse livro foi como ser vendado num lugar em que as pessoas não paravam, em momento algum, de falar para onde eu deveria ir, só que cada uma falava um lugar diferente. E aí está a ótima sacada da autora no thriller psicológico. Até a penúltima página não sabemos o que é verdade e mentira e, de certa forma, o final se mantém assim, a autora te deu a opção de acreditar no que achar menos pior.

No começo, não conseguia imaginar o que havia acontecido para o pai de Peggy ter feito tudo o que fez, mas depois consigo compreendê-lo, apesar de não aceitar. Acho que quando um relacionamento é baseado em mentiras – qualquer tipo de relacionamento – não tem como dar certo. Mas isso é uma opinião minha e muitos podem não concordar, pois acham que uma mentira aqui, outra ali, é normal.

O tema desse livro é algo complexo de se dizer, pois qualquer coisa pode ser um baita spoiler, mas podemos pauta-lo em violência, tanto física quanto emocional, e isso precisa ser discutido. 
“- Datas só nos fazem perceber quão finitos nossos dias são, quão mais perto da morte ficamos a cada dia que passa. De agora em diante, Punzel, vamos viver seguindo o sol e as estações. – Ele me pegou no colo e me girou, rindo. – Nossos dias serão infinitos.”

Infelizmente não tenho mais palavras para expressar como essa leitura é e sei que essa resenha acabou ficando confusa e redundante. A única coisa que posso dizer é leia, você será surpreendido. Acho que seria capaz de ler a lista de supermercado dessa autora.

Classificação:

12 comentários:

  1. Olá, Bruna! Lendo sua resenha percebe-se que a leitura lhe agradou bastante, pois a sua análise apesar de muito boa ficou um pouquinho confusa. Mas acredito que essa leitura tenha muito acrescentar aquele que a lê. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi Bruna! A capa desse livro é msm linda, já conhecia de vista mas n tinha ideia q a história seguia esse rumo, interessante! Fiquei um pouco confusa tbm, mas só lendo né? Haha
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não tinha ouvido falar do livro, então no começo fiquei um pouco perdido quanto ao gênero. A história parece ser inovadora e muito boa, pelo que você falou. Adoro thriller psicológico <3

    "Meu blog: Palavra Pensada (:"

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bom?
    Compraria esse livro só pela capa é muito linda <3 Adorei a premissa do livro e sua resenha me deixou ainda mais com vontade de ler, vou anotar a indicação ♥

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ola
    Não tenho dúvidas de que esta deve ser uma história apaixonante, apesar da complexidade pelo que pude compreender, sem contar que essa capa é linda demais. Sou apaixonada por esse gênero, então é claro que a premissa me intriga muito. Sua resenha me deixou ainda mais motivada e curiosa a respeito do desenvolvimento.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  6. Olá! É uma jogada arrisca mas quando dar certo é boa, que bom que a autora sobre com jogar com o psicológico do leitor e deixou ele acreditar no que preferir. Esse tipo de livro é ótimo para conversa com outra pessoa, já que o ponto de vista de cada um é diferente. Realmente um relacionamento baseado em mentira não tem como dar certo, uma hora as verdade aparece. Quando um livro é complexo realmente é mais difícil fazer a resenha, melhor dizer menos do que dar spolier. Gostei da sua resenha e já anotei a dica do livro. Que bom que você gostou. Beijos'

    ResponderExcluir
  7. Esse é um livro que tá na minha wishlist faz tempo, e sua resenha não me deixou confusa, apenas me deixou mais curiosa pra fazer a leitura. Acho a capa incrível, e sempre leio resenhas positivas.
    Ultimamente tô amando ler thrillers assim, então provavelmente lerei em breve, e provavelmente vou falar contigo pra conversarmos sobre ele!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  8. Olá, Bru

    Essa capa é maravilhosa! Eu tenho curiosidades de fazer essa leitura, ainda mais por ser um enredo misterioso e que coloda dúvidas na gente. Gosto de histórias que deixam a gente na dúvida sobre o que está acontecendo. E claro que fiquei na dúvida para saber os motivos que levaram o pai a fazet isso. Daria até um bom filme.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Bru.
    Adorei sua resenha!
    Pelas suas palavras dá pra perceber que voce realmente gostou da obra... É tão bom quando acontece isso! Achei a premissa bem interessante e acho que tem tudo pra me agradar também, ainda mais quando você mencionou que tem certeza que nos surpreenderemos com o livro. Quero ler!
    A capa é mesmo linda...
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. A capa do livro achei bem original eu vi um rosto com um cabelo alto(arvores) vi depois a menina em frente a casa...realmente a história parece confusa o pai atordoado e o sumiço da mãe muito estranho enfim apenas lendo para entender a história...obrigada pela dica de leitura bjs

    ResponderExcluir
  11. Oie :)

    Lendo sua resenha me lembrei de "A Menina Submersa" acho incrível quando os autores conseguem confundir nossa cabeça, nos deixando loucas para saber se o que achamos realmente é o que é, ou se ele vai vir com uma reviravolta que vai mudar tudo que estávamos achando e no final acabamos descobrindo a verdade por trás de tudo, ou não.

    Acho que meu comentário ficou mais confuso do a história do livro ahah mas adorei sua resenha! me deixou com muita vontade de ler!

    Beijos
    Jess

    ResponderExcluir
  12. Olá Bru!! tudo bem?
    Adorei sua resenha, você disse que o post ficou meio confuso, mas eu achei totalmente o contrário, ainda acendeu uma super, mega, hiper vontade de realizar essa leitura. A capa é maravilhosa mesmo, nisso eu concordo plenamente!! Adicionado a lista de próximas leituras com sucesso.

    Parabéns pelo post e blog. Beijão!!!
    http://bloggmundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir