sábado, 3 de junho de 2017

[Filme] O Poderoso Chefão

Título: O Poderoso Chefão
Lançamento: 1972
Duração: 2h55min
Direção: Francis Ford Coppola
Gênero: Drama Policial
Sinopse: Considerado um dos melhores filmes americanos de todos os tempos pelo American Film Institute, a obra-prima de Francis Ford Coppola apresenta Marlon Brando em seu papel vencedor do Oscar como o patriarca da família Corleone.
O Poderoso Chefão é um violento e arrepiante retrato da luta da família siciliana para permanecer no poder, numa corrupta, enganosa e traiçoeira América pós-guerra. Coppola inicia sua lendária trilogia, equilibrando magistralmente a história da vida familiar dos Corleone e os sujos negócios criminais em que estão envolvidos.
Baseado no best-seller de Mario Puzo, com atuações impecáveis que fizeram a carreira de Al Pacino, James Caan e Robert Duvall, este inesquecível e brilhante filme recebeu dez indicações para o Oscar e ganhou três, incluindo Melhor Filme de 1972.

Eai galera! Para meu primeiro post escolhi um filme que é especial para mim, devido à questão familiar: O Poderoso Chefão. Sei que já existe um saudosismo ao redor da obra então vou tentar me ater a uma crítica mais aberta evitando esses elogios “endeusantes”. Tive a oportunidade de assistir novamente, graças ao festival de cinema com tema de Francis Ford Coppola promovido pelo Sesc Bauru, e sempre me parece ser a primeira vez, por que fico encantado.

O filme se inicia com foco em um personagem, Bonasera, que teve sua filha violentada pelo namorado e, por isso, ele pede ajuda a um homem que se encontra de costas para a câmera. O mistério envolto nesse simples plano sequência auxilia na construção da figura do “homem de costas”, ou, como nos é apresentado: Don Vito Corleone.

Logo na apresentação é possível verificar a aura poderosa criada pelo filme para a figura do Don. Um homem imponente, com diversos contatos e a quem todos se dirigem como Padrinho. Essa cena se passa durante o casamento da filha de Corleone, Connie. Por mais que seja uma cena comum apresenta os personagens principais e, desde o início, a rixa entre as cinco famílias mafiosas de Nova York e Nova Jersey: Corleone, Barzini, Stracci, Cuneo e Tattaglia.


A partir daí, o desenrolar de acontecimentos toma um ritmo frenético que nos faz esquecer as cenas que possuem menos movimento, como, por exemplo, a estadia de Michael, filho mais novo do Don, na Sicília, após ter matado o filho do líder da família Tattaglia, devido a mesma ter encomendado o assassinato de Corleone.

Como é possível verificar, o filme é repleto de cenas de ação e violência, mas todas possuem um porquê e não são jogadas na tela sem sentido. Prova disso é a cena em que Santino Corleone, filho mais velho, morre no pedágio depois de uma série de tiros de capangas das outras famílias. Tal acontecimento serve para mostrar a guerra se intensificando e os Corleone perdendo o prestígio.

Michael toma a frente das operações da família, embora esse fosse o último desejo de seu pai, e conduz os Corleone a um novo patamar de mafiosos. Ele aprende com a experiência de seu pai e todo o tempo que ficou de fora apenas observando. O resultado? Ele consegue acabar com as outras quatro famílias, tomando assim o controle dos negócios ilegais da cidade para si.


Fora o enredo do filme, é possível identificar os fatores históricos. O pós-Segunda Guerra nos EUA e na Sicília e o início do comércio de drogas nos anos 40. A trilha sonora garante uma carga emocional a todas as cenas, seja ela de ação ou de suspense.

Em síntese, O Poderoso Chefão é um ótimo filme. É tipo as regras obrigatórias que devemos seguir para sermos felizes, inevitáveis. Em minha opinião, todos deveriam assistir, porque temos quase três horas de aula de como fazer cinema com um elenco ótimo e um enredo rico.

Nota para o filme: 5/5

13 comentários:

  1. Aqui vai uma confissão: provavelmente sou a única pessoa no mundo que nunca assistiu O Poderoso Chefão. É, eu sei...
    Ainda pretendo corrigir esse erro, e a sua resenha com essa análise da primeira cena do Vito Corleone me deixou com mais vontade de corrigir logo esse erro :D

    ResponderExcluir
  2. Oi.

    Já assisti aos três filme, mas faz um tempinho já. Depois disso não assisti de novo. Até tenho vontade de ver, mas deixo para quando passar na TV algum dia.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Amei suas observações! Assisti há muito tempo O Poderoso Chefão e fiquei apaixonada pelo filme, a inteligência do enredo, o modo como a história é envolvente, enfim, é maravilhoso! Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olaaa
    Gostei das suas observações
    Acredita que nunca assisti o filme, mas acho que irei dar uma espiada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu lembro de ter assistido ao filme com meu pai, muitos e muitos anos atrás, e lembro de não ter gostado muito. Não do enredo ou da atuação, o filme é espetacular. Meu problema é mais subversivo, eu não curto a parafernália hierárquica (Don, Padrinho, Meu Rei, Milord... eca...). Mas de resto, concordo com tudo, é realmente um filme espetacular.

    ResponderExcluir
  6. Oi Vinicius, tudo bem?

    Eu adorei seu post, pois nunca assisti "O Poderoso Chefão" (sim, eu sou normal e não vivo no mundo da lua, só às vezes).Eu conhecia o básico da obra, sobre basicamente do que se tratava, mas não sabia por exemplo que a história se passava após a Segunda Guerra Mundial, isso me deixa mais animada para assistir, sou fissurada nesta época. Espero poder assistir em breve!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá Vinicius, tudo bem??
    Assisti este filme e todos da franquia há alguns anos, mas pretendo assistir tudo novamente, porque recentemente li um livro maravilhoso que falava da mafia e a autora se inspirou muito nestes filmes, então aquela vontade louca voltou. Adorei sua resenha do filme e ficou bem nítido o quanto você gostou. Xero!

    ResponderExcluir
  8. OOi!
    Vejo muito falar do filme, mas confesso que nunca assisti, e nem tenho muita vontade. Porém, suas considerações me animaram a arriscar. Quem sabe acabo gostando... haha

    ResponderExcluir
  9. Nunca vi esse filme, e nunca imaginei que fosse encontrar nele "as regras obrigatórias que devemos seguir para sermos felizes". Agora fiquei até curiosa, achei que fosse ser violento e só isso mas pelo jeito é muito mais... Adoro o fato de se passar no pós-Segunda Guerra.

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Ah não tenho paciência para assistir a essa franquia de filmes, mesmo vendo ótimos comentários e indicações, ele não faz meu estilo.
    Por conta disso, irei passar a dica.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  11. Oi Vinicius, tudo bem?
    A franquia do poderoso chefão é um clássico e como você mesmo disse uma verdadeira aula. Até hoje não consegui ver, mas já vi vários filmes fazendo referências a ele. Sua crítica ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  12. Vinicius, suas observações são muito bem pautadas. O Poderoso chefão é um clássico e em minha opinião sempre será, é rico em detalhes e traz informações de uma época história importante.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu amo o Poderoso Chefão! Já assisti aos filmes diversas vezes, mas confesso que faz anos que não revejo. Seu post me deu vontade de fazer uma maratona da trilogia e matar a saudade.
    Bjs!

    ResponderExcluir