segunda-feira, 15 de maio de 2017

A explicação está na pós-modernidade?

Eu tenho lá os meus bons momentos, é claro. Não sou um ser humano inteiramente sombrio. Geralmente tais momentos decorrem do lambeijo dos meus cachorros, do cheirinho da comida da minha mãe, de algumas palavras doces e do carinho singelo do meu amor. Eu os valorizo de uma forma inexplicável, prego-os em minha memória e, geralmente, quando me vejo assim, desesperada, deslocada, desanimada e muitos outros “des” possíveis, os recupero na mente, para não perder a fé na vida, para, completamente, não perder para a vida.



Me perdoe se estou sendo confusa e se o padrão gramatical escapar, estou no meio de uma crise, gramática é a última coisa em que quero pensar. 

Venho sentindo um cansaço aterrorizante. Tanto, que ando perdendo a vontade que eu sempre tive de estudar e me organizar. Você pode dizer que, em comparação a você, eu nem tenho tanta coisa assim para me preocupar. Mas você sabe que isso não importa, não é mesmo? O problema está no pensamento. A mente vem sendo a minha única e maior inimiga. Não consigo controlá-la, por mais que eu tente, é impossível domá-la. Nem os momentos bons, aqueles que eu guardo para usar num momento emergencial, estão dando conta. Venho vivendo numa montanha russa. E é isso o que vem me perturbando, estou em pânico e não consigo controlar os meus atos. Onde, Deus, onde eu vou parar? Eu não sei. Eu. Não. Sei. Estou com medo de mim e de toda essa tristeza.

Você já se sentiu assim? Por favor, diga-me que sim. Apesar de gostar da solidão, não quero estar sozinha nessa. Dê-me, por favor, uma explicação. Estará ela na pós-modernidade? Quero me libertar, quero estabilidade emocional, mas aparentemente, isto é impossível. Im-pos-sí-vel. Não gosto desta palavra, nem um pouquinho.

Vou dormir. Decidi agora mesmo me apegar aquela velha frase clichê: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”. Espero ansiosamente que este clichê seja verdadeiro. Amanhã pela manhã, eu conto a você (ou não).

Por Thamiris Dondóssola | Blog Historiar.

21 comentários:

  1. Acredito que eu entendo um pouco pelo que está passando, Thamiris. Desde a virada do ano venho sofrendo com crises de ansiedade, algumas bastante intensas. Problemas psicológicos são coisa séria. Cada caso é um caso e não sei se o seu é parecido com o meu, mas o que me ajudou a dar melhorada (ainda não me recuperei totalmente) foram vídeos de meditação, começara a praticar caminhada e também reconectei com o meu lado espiritual, que andava meio apagado. Te desejo sorte, e se precisar trocar uma ideia, pode me adicionar no Facebook.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Joe.
      Obrigada pela visita aqui no UOH e pelas palavras. Espero que você continue caminhando para que tudo fique bem. Agradeço pelas dicas também.
      Abraços

      Excluir
  2. Olá!

    Temos fases na vida que são complicadas mesmo, viver com medo, seja do que for, é algo que nos destrói de tal modo... No momento, não tenho muitas palavras para te dizer, porque também estou enfrentando meu demônios internos - digamos assim - portanto, a única coisa que posso lhe dizer é: Você não está sozinha, segure firme e vamos lá!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana.
      Você falou uma palavra importante: fase. Espero mesmo que seja só uma fase.
      Espero que fique bem logo. Obrigada pelo carinho!
      Beijos

      Excluir
  3. Oie amore,

    Nossa que texto maravilhoso...
    Tenho sentido as mesmas coisas... e visto muitas pessoas reclamando da mesma coisa... acho que é a situação de hoje que não está propícia.
    Me apego muito nessa frase clichê... Se não fosse ela já teria enlouquecido!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  4. Relaxa que você não está sozinha nessa. Sozinha na multidão... Estava pensando nisso mais cedo, e achei que só eu me sentia assim.Sabe esse clichê ? Só podemos nos apegar a ele e acreditar a todo custo que dias melhores virão. Eu sei que virão. Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, ando tentando me apegar a todo custo que dias melhores virão.
      Bjs!

      Excluir
  5. Olá tudo bem?
    Adorei o seu texto e não, você não está sozinha, em determinados momentos minha mente é minha maior inimiga, eu simplesmente não consigo controlá-la e ela me leva para caminhos tortuosos e pensamentos obscuros na qual eu fico com medo de mim mesma e não acho isso uma coisa legal. O que eu mais queria saber fazer é colocar um freio nela, filtrar certos tipos de pensamentos mas ainda não consegui aprender tal maravilha! Caso você descubra, por favor, não exite em me contar.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila.
      Um freio seria bom, certamente. Ele vem da sua mente, acho que este é o grande problema.
      Obrigada pelas palavras!
      Beijos

      Excluir
  6. Olá, tudo bem?
    Adorei o seu texto, e me fez pensar que sempre estou em uma situação parecida com a minha mente.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá flor, espero que esteja bem de coração!
    Eu sei bem o que vc está passando, pois tenho sofrido muito com crises de ansiedade e pânico a ponto de não sair de casa. Meu conselho é não se entregar procure ajuda nem que for com sua clínica geral. E nada é impossível de resolver desde que vc entenda o problema, pense como matemático.
    O que me ajuda é o blog (escape) comecei a me forçar a socialização seja com amigos ou familiares e caminhada e uma coisa que o Joe falou aí em cima passei me interessar mais para o meu lado espiritual (independente de religião) o importante é continuar fazendo algo assim como vc acabou de fazer, coloque para fora, exteriorize os sentimentos.
    Desejo logo que melhore, mais saiba nada é de uma hora para outra e vai exigir muito esforço, mas vc tem essa força aí dentro de vc!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marcia.
      Já estou recebendo ajuda. ♥
      Eu, pelo contrário, acabei me afastando do blog... Acho que a única coisa que não larguei ainda foram os livros.
      Obrigada pelas palavras!
      Beijos

      Excluir
  8. Oi Thamiris, tudo bem?

    Que texto impactante! Se sentir sozinha é quase como uma rotina na minha vida, então posso afirmar para você de olhos fechados que isso passa, claro que não passa de uma hora para outra, é claro que você ainda vai sofrer muito com isso, mas uma hora passa, agarre-se nisto. Sentir esse vazio consumir é uma sensação estranha, é dolorido, pois quando acontece a primeira vez você simplesmente não sabe o que faz, você só sente. Uma dica para quem está passando por isso é conversar com alguém, colocar todo sentimento para fora, isso ajuda muito, isso traz paz ao coração! Uma hora tudo se ajeita, pode ter certeza...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. AAAAAH, você não tem noção como esse texto veio em uma boa hora. Estou me sentindo exatamente assim. Obrigada pelas palavras!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olaaa
    Super te entendo. E digo que isso passa, não digo que é fácil, ou rápido, mas digo que passa, as vezes volta mas passa, ocupar a cabeça e se manter assim é um bom inicio.
    Lindas palavras. Muito bom

    ResponderExcluir
  11. Olá! Sei sim como você se sente! Um desânimo enorme, ficava sem vontade de escrever, de ler, de fazer as coisas que eu gosto. Mas, vou te contar uma coisa: vai passar. Agora pode parecer que não, que tudo está escuro e sem saída. Mas não! Sei que é estranho falar, mas a força tem que vir de dentro de você. Família e amigos ajudam, mas a sua força interior vai tirar você dessa, creia e conseguirá! Torcendo por você! Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Me identifiquei com trechos de seu texto, boa sorte e sucesso na sua jornada.

    ResponderExcluir
  13. Ai nem fala estou me sentindo esgotada desde o começo do ano e o que eu estou fazendo? Nada. E acho que é isso que está me "derrubando", nunca fiquei inerte no mesmo momento e jeito por muito tempo, e agora estou formada, sem emprego, só em casa faxinando, isso não é para mim, não sou eu. Sou da rua, do trabalho, das compras e no fim do dia do sossego.
    Torcendo para que fiquemos bem.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  14. EU TE ENTENDO.
    Esses dias eu fiquei lendo os poemas do Álvaro de Campos, em especial Tabacaria, e dei vazão a minha crise existencial. Às vezes é sufocante. Eu recorro a momentos felizes, aos livros, aos anjos que a vida coloca no nosso caminho, mas nem sempre esses pequenos antídotos dá jeito...
    Também quero a resposta.

    ResponderExcluir