quinta-feira, 30 de março de 2017

[Resenha] Tudo que deixamos para trás, Maja Lunde

Título: Tudo que deixamos para trás
Autora: Maja Lunde
Editora: Morro Branco (cortesia)
Páginas: 475
Onde comprar: Livraria Cultura | Saraiva

Assim que recebi Tudo que deixamos para trás quis começar a leitura, mas várias coisas a adiaram: livros que estava lendo e não conseguia concluir, a falta de tempo e, principalmente, uma ressaca literária que me pegou no final de fevereiro e começo de março.

Há 10 dias, quando surgiu a oportunidade de começar a leitura dessa obra, o fiz de forma frenética como há muito não fazia, mas, depois de uma determinada quantidade de páginas lidas, diminui o ritmo apreciando cada palavra, pois a verdade é que não queria que esse livro terminasse.

A obra nos apresenta três histórias de pessoas, épocas e locais diferentes, mas que serão entrelaçadas em algum momento e possuem algumas semelhanças: as abelhas, o amor pelos filhos e o fato de fazerem tudo por eles.

O ano é 1852, o local é Inglaterra, a pessoa é William, um biólogo deprimido. Seu sonho era estudar e alcançar a fama, mas, após conhecer Thilda, se apaixonar e se casar com ela, sua carreira fica de lado, pois cuidar dos filhos – que não muitos – é mais importante. Quando seu mestre – Rahm – percebe isso o dispensa e isso causa-lhe uma depressão profunda, que só melhora após a visita de seu único filho homem – Edmund – e a esperança de que eles possam trabalhar juntos na construção de uma colmeia que, dessa vez, fará com que alcance o reconhecimento tão desejado.

Agora o ano é 2007, o local é os Estados Unidos, a pessoa é George, um apicultor. Suas abelhas são saudáveis e dão o sustento que ele precisa para dar uma vida ok para sua esposa, Emma, e pagar a universidade de seu filho Tom. Ele faz amplos investimentos em suas abelhas e não tem o costume de ouvir o que os outros falam. Além disso, é um homem que discute muito com o filho que sonha ser escritor ao invés de seguir cuidando das abelhas. O que ele não esperava era que as abelhas poderiam sumir do nada e sua vida ruir.

Por fim, o ano é 2098, o local é a China, a pessoa é Tao, uma mulher que trabalha mais do que deveria fazendo o trabalho das abelhas, pois elas não existem mais e alguém precisa polonizar no lugar delas. Ela é casada com Kuan, um homem que respeita muito as leis e é submisso a tudo. Eles têm um filhinho de três anos Wei-Wen. A vida deles era praticamente miserável, os países estavam em guerra desde que as abelhas haviam sumido, mas não era por dinheiro. A guerra era por comida. Sua vida muda radicalmente após um dia de folga e algo muito ruim acontecer com seu filho.

A cada página que virei desse livro senti uma facada sendo enterrada cada vez mais fundo em minha carne. Senti isso porque esse livro me fez pensar muito no que estamos fazendo com a natureza. Desmatamos para construir casas, depois plantamos em massa determinado fruto, verdura ou legume. Não permitimos que as plantações sejam variadas para que possam agradar todos, afinal, como poderíamos fazer isso? Precisamos de uma produção em massa para nos alimentar e isso faz com que deixemos de nos importar em voltar para a natureza o que ela nos dá. Utilizamos agrotóxicos para proteger as plantações, mas eles não eliminam apenas as pragas, eles matam insetos que são alimento de outros animais, que alimentam outros e isso faz a cadeia alimentar se quebrar. Como se não bastasse tudo isso domesticamos abelhas. Nossa, Bruna, como assim? Você nem sabe do que está falando. Ah é, não sei?, então dá uma pesquisada aí. Os apicultores criaram colmeias artificiais que tornam fácil o manuseio desses insetos. Elas produzem mel, nós pegamos tudo para nos alimentar. Aí as levamos para algumas plantações para que elas possam polinizar. Sim, pessoal PO-LI-NI-ZAR, as abelhas não produzem apenas mel, elas são serem importantes para que as árvores deem frutos. Alguns devem pensar: “Nossa, me senti mal com aquela abelhinha que matei para não me picar”. É, também me senti assim.

Todos esses ensinamentos vieram com o livro, então, a leitura de Tudo que deixamos para trás, além de funcionar como um bom entretenimento é um livro que agrega muito conhecimento. Por óbvio não é um livro técnico, mas ele tem partes técnicas e elas foram escritas tão bem que você não percebe que está lendo algo que, de fato, acrescenta para a sua vida.

Por fim, sobre a leitura em si, foi fascinante, pois a autora trabalhou muito bem a distopia fazendo o leitor pensar no futuro e, principalmente, trabalhou o amor. Ele transborda pelas páginas é pai que ama filho, é filho que ama pai e o que eles são capazes de fazer um pelo outro é algo que ficou incrível. Minha única ressalva com relação a esse livro é que não consegui simpatizar muito com o William e com o George, eles reclamam demais, principalmente, o William. Entretanto, esse não é um grande problema e pode ser facilmente esquecido diante da grandiosidade dessa obra.

Se você gosta de distopia, se está interessado em aprender um pouco mais sobre as abelhas e como são importantes, recomendo essa leitura. Se você não gosta de distopia nem está interessado em conhecer as abelhas, também recomendo essa obra, pois algo ela irá acrescentar em sua vida.

Classificação:

17 comentários:

  1. QUE RESENHA! Confesso que eu tinha curiosidade em ler o livro, mas nada uau, sabe? Mas após sua resenha, me deixou completamente encantada e com uma vontade sem fim de iniciar essa leitura o mais breve possível <3

    Beijos,
    * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir
  2. Uau! A sua resenha ficou maravilhosa Bruna. Tenho certeza de que, esse livro têm muito à ensinar aquele aque o lê. Abraços!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruna, pela capa, eu deixaria o livro passar, mas a sua descrição do enredo me deixou master curiosa. Essa coisa de épocas e pessoas diferentes que fazem a história fazer sentido em um dado momento, me chama muito a atenção. Outra coisa que me faz querer ler o livro agora, é você ter sido esfaqueada em cada página. Eu amo sofrer enquanto estou lendo, então, imagine minha curiosidade com a narrativa?
    Amei a dica
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oii,
    Nossa eu não sabia do que se tratava o livro até parar para ler sua resenha, e é fato que estamos a cada dia destruindo um pouco mais da natureza!
    Com certeza vou ler a obra, pois ela parece dar um tapa em nossa cara e nos fazer refletir, definitivamente precisamos de livros assim!

    Beijos,
    May - http://mayeosvicios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Já vi algumas vezes a capa pelas redes sociais e não sabia que eram esses os assuntos tratados no livro! Sinto que é uma história que nos vai fazer refletir do início ao fim de como tratamos tudo ao nosso redor, principalmente a natureza e a quem amamos.Estou em um momento o qual estou precisando de um livro assim, mais reflexivo e que dá uns tapas para a gente acordar, essa dica me caiu como uma luva!
    Beijos, Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oiee Bruna ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas fui sentindo na pele o que você disse ter sentido enquanto lia. É tão bom quando a gente gosta tanto de um livro, que não quer que acabe, né? E ruim também, porque, eventualmente, ele vai acabar...haha' Eu odeio ver o que o ser humano está fazendo com o mundo, usando tudo como bem entende e ferrando com o planeta inteirinho, pouco se importando com a natureza :/ adorei esse livro, estou doidíssima para ler ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá amore,
    A capa desse livro não é das melhores, mas o título e o que você comentou na resenha me chamou a atenção e muito. Anotei a dica aqui.
    Gostei de saber que se trata de um livro cheio de conhecimentos e já quero muito ler.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Nossa, fiquei louca para ler esse livro!! A começar pelo título reflexivo e depois ao ler a sua opinião sobre o enredo. Muito bom quando um livro traz conhecimento e entretenimento ao mesmo tempo! Obrigada pela recomendação!!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  9. Oiee
    Pela capa fiquei totalmente enganada sobre o livro... rsrsrsr
    Nunca que diria que se tratava de uma distopia.
    Eu leio distopias e geralmente tenho gostado do que leio.
    A sua resenha me deixou em curiosa qto à leitura e vou anotar a dica.
    Parabens pelo post.
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Não conhecia o livro ainda, mas, adorei conferir seus comentários, e é claro, estou super interessada em ler! Além de todos os pontos positivos fiquei curiosa para conhecer um pouco sobre as abelhas ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Fui uma das primeiras pessoas a conhecer a Morro Branco e tenho uma amor surreal por essa editora, até o momento não li nenhuma obra dela, mas fico babando com os lançamentos. Tenho a pequena impressão que ela é bem parecida com a DarkSide, mas com foco em ficção. Adoro essa forma que eles abordam temas instigantes e, além disso, conseguem fazer uma edição incrível, é muito de se lembrar da Dar. Fico feliz em saber que a história te agradou e eu fiquei mais curioso ainda com livro! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?
    Não sou muito chegada em distopias, mas adoro histórias paralelas que se entrelaçam no mesmo livro. Isso já me conquistou e fez com que ficasse louca para ler esta história. Outro ponto que achei super interessante é esse agregar conhecimento, principalmente sobre abelhas, que não sei muito sobre. Não sabia dessas colmeias artificiais, por exemplo. Sugestão anotada! Ótima resenha ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, como esta?
      Que livro foi esse que acabei de conhecer?! Nunca vi nada parecido antes e com certeza penso que é MUITO importante falar sobre a devastação do meio ambiente e as consequências que ele traz.
      Abracos e beijos da Lady Trotsky...
      http://rillismo.blogspot.com

      Excluir
  13. Oie
    uau parece ser uma leitura um tanto profunda, gostei do enredo e da mensagem que o livro quer passar, acho que ainda não conhecia mas gostei muito através da sua resenha, está na lista de desejados agora

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Que distopia interessante... Além de ter como base 3 estórias paralelas, fala de um assunto não muito comum: as abelhas e por detrás, a natureza.
    É verdade. Muitas pessoas desmatam, jogam lixo em qualquer lugar, e pensam que isso não irá atingi-las. Mas a verdade é que talvez não atinja mesmo, mas irá prejudicar nossos filhos em um futuro bem próximo.
    Gostei muito da ideia deste livro, e espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  15. Olá!!
    NOssa, nao conhecia esse livro!! Mas eu amoo distopias, e sempre quis conhecer melhor essa questão da extinção das abelhas e como isso afetaria o meio ambiente e a nós mesmos...
    Muito interessante a premissa, vou procurar para ler!
    Obrigada pela dica!
    Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Não tinha ouvido falar do livro ainda, mas achei a premissa muito legal, faz tempo que não pego uma distopia pra ler, vou colocar na minha lista de desejados! Só não curti muito a capa, acho que não passa todo o potencial que a história tem. Obrigada pela dica!
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir