quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

[Resenha] As Fases da Lua, Bianca Briones, Jennifer Brown, Leila Rego, Clarissa Côrrea e Liliane Prata

Título: As Fases da Lua
Autoras: Bianca Briones, Jennifer Brown, Leila Rego, Clarissa Côrrea e Liliane Prata
Editora: Gutenberg
Páginas: 352
Onde comprar: Saraiva

Às vezes, quando não gostamos de um livro a culpa é totalmente nossa. É errado depositar muitas expectativas, porque quanto maiores elas forem, maior pode ser a queda... As Fases da Lua me empurrou de um precipício. Que decepção!

O livro é dividido em 5 contos, 4 deles para as fases da lua e um para a misteriosa "lua azul". Cada uma dessas fases rege sobre as histórias das personagens principais: para a lua crescente, o nascimento de uma nova mulher; para a cheia, a plenitude encontrada no amor; para a minguante, a perda daquilo que poderia ter sido um brilhante futuro; para a nova, um recomeço a partir da decepção e do sofrimento. E Jennifer Brown que me perdoe, mas o conto dela foi o mais sem noção possível, tanto no tema quanto na escrita. - Por que será que não consigo gostar de nada que ela escreve?

Dentre os demais contos, os que mais me agradaram foram os de Leila Rego (Lua Nova) e de Liliane Prata (Lua Cheia), nessa ordem. São historinhas bonitinhas e criativas, daquelas de dar gritinhos "Onw!" e suspiros.

O de Clarissa Corrêa (Lua Crescente) é um meio termo: achei a ideia dela maravilhosa, a história bem pensada e tudo mais... Mas não para um conto. Eu gostaria de que fosse um livro. Ficou tudo muito corrido e superficial - eu sei que isso é comum em contos, mas não gostei da desenvoltura e ponto final! Preferiria como livro.

Sobre a Lua Minguante de Bianca Briones... Desnecessário. Sério mesmo. Clichê demais!

E, bem... Apesar da criatividade de algumas autoras, o que mais me incomodou no livro todo, por incrível que pareça, foi a escrita. Uma escrita excessivamente informal. Ok, é divertido inserir algumas gírias e expressões atuais, mas calma lá, né? Não sei vocês, mas acredito que isso não acrescenta nada ao nosso repertório. - E, sim, eu gosto muito de ler também para aprimorar minha escrita!

Agora, respirem e parem de me odiar por ser tão chata. Não vou só criticar, sei reconhecer os aspectos positivos.

Acima de tudo, acima do meu ódio pelos "tá" colocados no lugar de "está", acima dos clichês e das correrias, eu amei a abordagem. Quatro contos voltados para MULHERES. Quatro contos para mostrar que PODEMOS SER AMADAS DE MANEIRA DIGNA. Sem preconceitos. Sem machismo. Três contos voltados para RELACIONAMENTOS ABUSIVOS. Dois contos voltados para questionar POR QUE MULHERES SÃO VISTAS COMO OBJETOS. Sério, isso é lindo. Essa é a parte linda do livro. A parte que vale pena!

(E, claro, nada contra quem gosta de estilos mais livres e informais. Se você aprecia, vá em frente, o livro será perfeito!)

Resumos dos Contos:

Lua Crescente, Clarissa Corrêa:

Alice é uma garota questionadora, que adora ir de encontro aos padrões e desrespeitar regras. Ela gosta mesmo é de ser quem é de verdade: nada de influências, nada de fingimento. Sua maior paixão, no entanto, é a liberdade. Ela sonha em um dia ser uma mulher independente - inclusive de homens -, mas não estava nos planos dela se apaixonar por um cara tão desprezível. Um cara que virou sua vida de cabeça para baixo e que a deixou sozinha para colar de volta cacos imersos em amargura.

Lua Cheia, Liliane Prata:

Lena é do tipo obsessiva. Ela é apaixonada por alguém que adora brincar com sentimentos, e por mais que saiba reconhecer isso, ela é incapaz de se libertar dessas amarras. Pelo menos até o dia em que resolve ir visitar uma amiga de infância na Itália. Lena vai então descobrir que a vida pode oferecer muito mais a ela se estiver disposta a mudar, ter coragem para enfrentar seus problemas e libertar seu coração para a pessoa certa.

Lua Minguante, Bianca Briones:

Bruna tem uma vida perfeita. É feliz na amizade e, principalmente, no amor. Mas, parece que o destino adora pregar peças e logo após ficar noiva, o amor de sua vida, Guilherme, adoece. Uma doença que coloca em xeque o futuro deles.

Lua Nova, Leila Rego:

Dora é uma oftalmologista renomada e inteligente. Entretanto, seu sucesso profissional não reflete o amoroso: um relacionamento abusivo do passado destroçou seu coração e ela não está disposta a entregá-lo a outro alguém. Não até cruzar com Rico, um homem cheio de segredos que vai bagunçar sua cabeça e seus sentimentos. Um homem que trará grandes surpresas e um novo recomeço.

Lua Azul, Jennifer Brown:

Destiny nunca conheceu o pai e perdeu a mãe para as drogas muito cedo. Ela mora com os pais adotivos e mais três irmãos e sua vida se resume a prestar serviços de caridade. Então, uma estranha lua azulada surge no céu. Ninguém sabe nada sobre o fenômeno, mas essa atmosfera misteriosa a mergulha em dúvidas sobre sua própria condição. 

Classificação:

18 comentários:

  1. Oi, Gabrielle. Poxa, que pena quea leitura não tenha sido tão boa para você, mas os pontos positivos que você citou na obra, ao meu ver vale a leitura, principalmente para vocês mulheres, afinal os contos falam sobre elas. E, ao meu ver, para quem gosta de contos, como eu, a leitura deva agradar. Eu particularmente também não curto muito escrita com muitas gírias, às vezes costuma-se exagerar nesse tipo de coisa. Muito boa a sua resenha e, não se culpe, dizendo que você é chata demais, você só é crítica, e ser crítico não é ser chato, no entanto grande parte das pessoas confundem. Abraços!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gabrielle. Eu fico muito triste ao saber que não tenha gostado da história. Desde que vi o livro, eu queria muito ler. Também concordo que contos dá uma impressão mais superficial dos personagens e eu até entendo seu ponto de vista, mas eu estou tentando tirar esse pré-conceito que tenho para poder embarcar melhor na leitura.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que pena que você não gostou. Eu nunca nem ouvi falar dele, kkk. Mas achei a capa linda. Acho que contos sempre serão vistos assim, é difícil acrescentar ou transmitir mais do que queria, com uma contagem mínima de palavras. Eu também tenho essa mania de não gostar de certos livros, mas acho que é por pura implicância, aliás, tô tentando mudar um pouco isso, kk. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi Gab, tudo bem?

    Sempre vejo postagens sobre esse livro no instagram, mas ainda não tinha lido uma resenha. A capa sempre me chamou a atenção, pois é linda e de certa forma trás uma leveza, mesmo com uma cor de fundo escura. Pela sua resenha, não sei se gostaria do livro. O tema abordado nos contos me interessa muito, conseguiria me prender em qualquer livro, pois acho essencial falarmos sobre o empoderamento feminino e sobre relacionamentos abusivos. Agora, linguagem informal o tempo todo??? Não faz muito o meu estilo. Eu até gosto quando isso está presente em um personagem específico, mas pelo que você narrou, isso acontece o tempo todo. Sua resenha ficou muito boa e agora não tenho uma opinião sobre esse livro haha

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá Gabi,
    Eu acho a capa deste livro lindo demais, mas devo confessar que nunca tive interesse na leitura dele, por se tratar de contos, eu sou chata e os únicos contos que ainda leio vinculados em livros é de terror e horror... porque eles podem ser corridos e acabar com pontas soltas, mas não me deixam tão frustradas... é uma pena que o livro não foi o esperado para você... Xero!

    ResponderExcluir
  6. Poxa, que decepção! Eu adoro a Jennifer, mas não comprarei o livro só pelo conto dela. A ideia realmente é muito interessante, usar as fases da lua para cada conto, a capa é linda e tudo o mais, mas fiquei bem decepcionada depois da tua resenha. =[

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito chegada a contos, e se esse livro te decepcionou assim aí é que não vou querer ler mesmo. Sim, essa parte das coisas que ele aborda é legal, mas não o suficiente para me atrair. Tenho verdadeiro horror de escrita informal nesse nível, é algo extremamente desnecessário, na minha opinião.

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Por mais que eu adore contos, não me sinto atraída pelas autoras, por mais que eu goste da Jennifer. Não ligo para escrita informal, desde que moderadamente. Te entendo, às vezes passo por isso de estar com alta expectativa a respeito de uma leitura e depois me decepcionar seriamente.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Gostei bastante da capa. Uma pena que você não tenha gostado, é complicado quando temos uma certa expectativa e nos decepcionamos. Amo contos e por serem curtinhos, todo cuidado é pouco na hora de cria-los. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oiii
    Caraca!! A proposta do livro é beeem interessante. Sem contar essa capa linda! Uma pena ter sido uma decepção pra vc... :(

    ResponderExcluir
  11. Como gosto de contos e antologias, achei que esse livro seria bacana. Como você mesma mostrou, são temáticas interessantes, voltados para o universo feminino, que buscam desconstruir mitos. Pena que a escrita te chateou de uma forma bem profunda. Também, não sou muio a favor de excessos de gírias, depende muito da construção do personagem. Espero que as próximas leituras te agradem! Bj!

    ResponderExcluir
  12. Oiee
    Bom, eu sempre quis ler esse livro, desde quando lançou, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha. Para ser sincera, fico triste que tenha essa escrita, pois assim como você, não gosto...
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Sua opinião tão precisa me fez querer conhecer esse livro, mesmo apesar dos pesares. A minha maior curiosidade é no conto da Clarissa Corrêa.

    ResponderExcluir
  14. Olá, poxa que pena que não funcionou a leitura pra você, eu particularmente não gosto de contos, são curtos demais pra mim e me deixam com a sensação de que falta algo, então apesar de alguns pontos positivos, nem o tema e nem o livro me interessaram, bjs

    ResponderExcluir
  15. Oii, tudo bem?

    Esse livro estava na minha listinha, mas depois da sua resenha tô pensando seriamente em tirar. Gosto quando falam de mulheres fortes, mas tem que ter um conteúdo bom né?
    Já li um livro da Leila Rego que gostei muito, e gostei quando disse que o conto dela é bom!

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Que pena que o livro não te cativou. Ainda assim, espero que possa conhecer algumas de minhas obras individuais.
    Beijos!
    Leila Rego

    ResponderExcluir
  17. OOI!
    Inicialmente não tive nenhum interesse em realizar a leitura, confesso. Primeiro, por não gostar muito de contos. Segundo, pois... sei lá. Não chamou muito muita atenção.
    Porém, ameei essa "parte linda do livro". Dica anotada! haha
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu amo livros que trazem todo esse respeito e amor pelas mulheres. Quando vem com empoderamento feminino então... Eu dou gritinhos. Mas... Assim como você, eu não gosto de linguagens muito informais, salvo quando são de determinados personagens, como num texto que dê voz ao famodo "Jeca".
    Por conta disso vou deixar a dica passar.
    Abs e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir