quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

[Resenha] Montanha da Lua, Mari Scotti - Família Hallinson #1

Título: Montanha da Lua
Autora: Mari Scotti (cortesia)
Série: Família Hallinson #1
Editora: Amazon
Páginas: 281

Antes de começar essa resenha, tem duas coisas que você precisa saber. A primeira é que esse livro é um romance de época e a segunda é que ele é muito bom.

Montanha da Lua, primeiro livro da série Família Hallinson, nos apresenta à história de Mical Nashgan e Octávio Hallinson Segundo. Mical é uma mulher extremamente decidida que foge dos costumes da época e vive enfrentando sua tia, negando-se a se casar. Ela tem em mente que se casará apenas por amor, nunca para agregar fortuna ou títulos. Já Octávio é um homem marcado pelo sofrimento. Ele vive recluso por acreditar que esse é seu destino, uma vez que sobre sua família recai a Maldição dos Hallinson’s
“Deveria lembrar-me de que sou uma mulher que enfrentou toda uma sociedade para permanecer solteira e não uma donzela em apuros que precisa de um príncipe encantado que a resgate!”

A maldição resulta na morte de todas as mulheres que um Hallinson amar e isso incluí suas mães que morrem logo após dar à luz ao seu primogênito, um menino. Octávio já sofreu uma perda, sua esposa que, mesmo não lhe dando nenhum filho, acabou por enlouquecer e morrer. E isso é prova suficiente de que a maldição existe e que ninguém precisa sofrer com isso.

“A primeira lição que recebíamos: toda mulher que você amar morrerá. Iniciando por sua mãe.”

A vida de ambos ia bem seguindo caminhos separados até acontecer algo com Mical e fazer com que Octávio cuide dela. Depois desse encontro, a vida dos dois poderia ser separada?

Que livro é esse? Quando comecei a ler não pensava que encontraria essa magnitude de sentimentos e essa vontade louca de concluir a leitura torcendo para que Mical e Octávio ficassem juntos. 
“O medo é um dos sentimentos mais impactantes que conheço, assim como o amor. Ambos possuem o poder de guiar um ser humano, levando-nos a atitudes que jamais seguiríamos em um estado normal.”

Mical é uma mulher forte, ela me representa muito em suas atitudes e no que fala, pois digamos que compartilhamos dos mesmos ideais. Quando o destino dela se encontra com o de Octávio, pensei, no início, que algo ruim iria acontecer e, depois, cheguei a achar cômico o que ela pensava dele – você vai ter que ler para saber – mas compreendi que, naquela época, as mentes eram “programadas” para pensar daquela forma, apesar de que, até hoje, eu pensaria assim (risos). 
“– Todos possuímos nossas fraquezas, Octávio, como lidamos com elas é que nos faz vencer.”

Com relação ao Octávio, me apaixonei por ele assim que percebi como ele realmente era e compadeci de seu medo de sofrer mesmo de uma maldição, entendo que ele queria se afastar de quem ama, conviver com a dor de ver essa pessoa feliz, pois não era capaz de conviver com a dor de perder a pessoa, entretanto, suas escolhas, em determinados momentos me incomodaram um pouquinho.

Gostei muito de uma surpresa que a Mari traz no livro com relação à família de Mical e, juro, em momento algum suspeitei que aquilo havia acontecido, mas só mostra que as piores coisas de nossa vida podem vir das pessoas que mais amamos.

Por fim, para não me estender mais do que já me estendi. Se você gosta de romances de época com personagens fortes e uma trama com surpresas, só tenho a lhes dizer que essa leitura é obrigatória, pois ela mostra como nossa literatura nacional não deixa nada a desejar para os livros internacionais.
“O amor nunca será maldito.”

Classificação:

15 comentários:

  1. Oi, Bruna! Fico muito feliz em saber que existem muitas pessoas capazes de criar estórias sensacionais, gerando obras maravilhosas como parece o caso desse que você resenhou. Não sou muito fã de romances de época, mas tenho certeza se eu lê-lo, irei amar a leitura. Abração!

    www.marcasliterarias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá! Achei que Mari Scott não fosse brasileira não. No final da sua resenha fiquei tipo'' Que? é nacional?'' Adorei!!
    O livro parece ser muito bom mesmo. Não li muito livro de época, mas esse parece ser muito bom. Já quero ler! Irei indicar para uma miga também, certeza que ela irá gostar.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Estou igual a Carine, de queixo caído por saber que Mari Scott é brasileira.
    Tenho o e-book desse livro e pretendo ler em breve. Sua resenha despertou bastante meu interesse e depois de saber que a autora brasileira fiquei mais curiosa ainda.
    Volto em breve para dar uma opinião mais concreta.
    Beijos Bella

    ResponderExcluir
  4. Haha eu sobrenome engana mesmo! Mas, sou brasileira sim e com muito orgulho! *-*

    Brunnnaaaaa, amei a sua resenha e se eu pudesse eleger o TOP 5 de resenhas do ano, a sua estaria em primeiro haha. Amei! Obrigada por se envolver tanto com a história! Confesso que já pensei em aliviar o Octávio após ler resenhas, mas naquela época, as crenças eram fortes como o fanatismo das religiões, ai não consigo mudar. Quem sabe um dia eu não aumento um capítulo dele menos medroso hahaha.

    Obrigada pela sinceridade. Espero que aprecie A noiva devota também!
    Beijão, Mari Scotti

    ResponderExcluir
  5. Bru, Mical parece ser uma personagem maravilhosa mesmo, ainda mais num romance de época.
    Que bom que você se surpreendeu, pois algumas vezes você fica um pouco decepcionada quando adivinha o que vai acontecer.
    Adorei a resenha, como sempre!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Nossa, que resenha mais detalhada, me prendeu do começo ao fim, amei! Dica anotada, espero ler em breve.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Gentem... Pela capa parece ser de fantasia! (E que capa linda)Rsrsrs Mas romances de épocas também são incríveis! O fato da Mival ser "à frente" do seu tempo já me anima para ler, principalmente por ser uma personagem forte e determinada. Você disse que a autora faz algo que surpreende e é inesperado.... Tu sabe que isso nos deixa mega curiosos , não é? Kkk Já preciso ler o quanto antes!! Dica hiper anotada!!! Beijinhos do Wes *----*
    PS: Só uma dica, seria bem legal se você destacasse os quotes (com outra cor, ou tipo de letra) só pra não ficar tudo monótono. Não pense que isso tira o brilho do seu blog que é lindoooo.

    www.facesemlivros.com

    ResponderExcluir
  8. Meu deus, que enredo maravilhoso. Capa lindíssima, ótima escolha, e parece ter a ver com a história. E o que me deixa mais empolgada é por ser romance de época. Eu fico tentando imaginar o que se passa na cabeça desse homem sabendo que pode destruir a vida de alguém, que peso nas costas ele leva pro resto da vida. E Mical me parece aquela mulher forte que luta pelo que acredita e não deixa que lhe digam o que fazer. Adoro!
    Dá até um orgulho ver livros bons escritos por autores nacionais, né? Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Oi.

    Me encantei por esse livro. Li semana passada e amei. Não sabia que gostaria tanto assim da narrativa, dos personagens, mas me enganei. Estou lendo agora o segundo volume e estou adorando. Espero que tenha mais livro dessa família.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Estou com esse livro da Mari no meu Kindle desde agosto e ainda não tive um tempinho para le-lo... Espero fazer em breve, sua resenha deixou minha vontade alucinada! Apesar de não ter o costume de ler romances de época, sinto que gostaria desse pelo fato de ter uma maldição envolvida (sou fã de suspenses). Adorei seu texto!

    ResponderExcluir
  11. Apesar de gostar de romances, os de época não me atraem... Infelizmente, vou deixar a dica passar dessa vez. Parabéns pela resenha, ficou realmente muito boa!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá... Bruna!!!
    Adoro amo adoro amo demais esse livro... quando conheci essa história quase enlouqueci... como não se apaixonar por um enredo tão bem escrito e desenvolvido como este? Mical virou uma de minhas queridinhas.... eu imagino como deve ser torturante viver uma vida sobre efeito de uma maldição... os costumes da época, tinha muito disso. Eu adorei a sua resenha... ficou bem escrita...e com os detalhes necessários para impressionar o leitor... Xero!

    ResponderExcluir
  13. Olá, Bruna.
    Eu escolhi esse livro para ser a primeira leitura da parceria e tenho certeza que não irei me decepcionar.
    O livro tem os elementos certos que me fazem gostar de uma leitura: romance de época, romance e fantasia.
    Fico feliz que tenha gostado tanto do livro, espero que ocorra a mesma coisa com os próximos da autora! <3

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Mesmo não gostando muito de romances, esse despertou minha atenção!
    Ainda não conhecia, mas vou anotar a sugestão, espero ter oportunidade de ler em breve <3

    ResponderExcluir
  15. Oi Bruna, sua linda, tudo bem?
    Gostei da história da maldição, eu sempre acabo lembrando do filme Da Magia a Sedução, em que as mulheres da família sempre perdia seus amores por uma maldição também. Isso deve ser devastador, amar e não poder amar ao mesmo tempo, estar condenado a sofrer de solidão. Por isso acho que irei amar esse livro, e estou torcendo para que juntos quebrem essa maldição. Só estou curiosa para descobrir como, risos...
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir