sábado, 9 de janeiro de 2016

[Resenha] Proibido - Tabitha Suzuma

Existem muitos tipos de livros: basicamente, há aqueles que nos fazem rir, aqueles que nos fazem chorar e aqueles que nos inserem em uma aventura de tirar o fôlego. Eu realmente gostaria poder encaixar Proibido em alguma dessas categorias, mas temo que isso seja praticamente impossível. Por quê? Bem, porque Tabitha Suzuma escreveu uma estória completamente inusitada, amarga e comovente. Uma estória que toma conta da sua alma e abre uma ferida incurável - de brinde o leitor ainda ganha uma noite de insônia. 

Nessas dolorosas páginas, Maya e Lochan, irmãos com apenas 13 meses de diferença entre si, acabam por se apaixonar. Eles são apenas dois de cinco que foram abandonados praticamente à própria sorte por um pai insensível e uma mãe alcoólatra e irresponsável. Sendo assim, os mais velhos de repente se viram com uma enorme responsabilidade nas mãos: criar os irmãos mais novos sem a ajuda de ninguém e lutar para a assistência social não descobrir nada daquilo. Separar a família era a última coisa que queriam. É neste cenário caótico que problemas como ataques de pânico e anti-sociabilidade começam a surgir para Lochan. O garoto de 18 anos é incapaz de se comunicar fora de casa.

Em meio a essa família completamente desestruturada a própria autora questiona se o amor entre Maya e Lochan não seria fruto da situação anormal. Embora ela não responda à pergunta, acredito que seja um pouco de tudo: os dois realmente se amavam, mas também ao assumirem o papel de uma mãe e um pai, tudo evoluiu para uma relação física.

A única crítica que ouço bastante sobre esse livro é a forma abrupta como o amor entre Maya e Loch surgiu. Muitas pessoas dizem que esperavam sentir os acontecimentos fluírem com maior delonga. Eu discordo. A autora poderia ter desenvolvido melhor? Poderia, isso eu não nego. Porém, o amor sempre esteve lá; não surgiu do nada. Repentina foi apenas a explosão dessa paixão. Necessidades exigiram isso deles.

E, bem, quanto ao final, não vou dizer muitas coisas. É simplesmente surpreendente. O livro inteiro é. Então, se você está a fim de sofrer, de chorar, sentir raiva, querer abraçar o livro e ao mesmo tempo fazer picadinho dele, leia Proibido. É uma leitura única; nunca sofri tanto por causa de um personagem como Lochan - e não estou exagerando, juro que vou me lembrar dele como se fosse uma pessoa real.

Finalmente sobre o tema: de primeira impressão muitas pessoas ficam chocadas. Afinal, fomos educados moral e religiosamente a acreditar que incesto é algo errado, repugnante e pecaminoso. Pensando assim, o eixo do livro é bem ousado, já que questiona nossos princípios. E, sinceramente? Eu adorei isso! Principalmente porque estamos vivendo uma época em que as pessoas estão dispostas a brigar, desmanchar laços e até mesmo se matarem para provar quem está certo e quem está errado. Parem! Abram suas mentes. O certo e o errado não existem, tudo é uma questão de perspectiva. Dessa maneira, no caso de Maya e Lochan, dois irmãos que se apaixonam, questionem-se "Por que, não?". Quem disse que é errado? O Papa? A Bíblia? Deus? Ou somos nós mesmos, seres humanos hipócritas e intolerantes? Por que somos levados a acreditar que nem todo tipo de amor é válido ou certo? Todo tipo de amor é válido, sim! E depois de ler Proibido tenho mais certeza disso como nunca antes.

Permitam-se amar!

"Todo mundo tem o direito de fazer o que quiser de expressar seu amor como bem entender, sem medo de assédio, ostracismo, perseguição ou mesmo a lei. Até relacionamentos emocionalmente violentos e adúlteros costumam ser tolerados, apesar do mal que causam aos outros. Na nossa sociedade progressiva e permissiva, todos esses tipos de "amor" daninhos e doentios são permitidos - mas não o nosso. Não consigo pensar em nenhum outro tipo de amor que seja tão unanimemente rejeitado, embora o nosso seja profundo, apaixonado, generoso e forte a tal ponto que uma separação forçada nos causaria uma dor intolerável. Estamos sendo punidos pelo mundo por uma única e simples razão: o fato de termos sido gerados pela mesma mulher."


Classificação:


22 comentários:

  1. Oi...
    Que resenha maravilhosa!
    Já havia ouvido falar sobre a polêmica que cerca esse livro e sinceramente isso me deixa muito curiosa para ler rsrs...
    Quero ler ainda esse ano!
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que esse livro tratava de incesto, caraca! Não sou fã de dramas tão pesados, mas leria para conhecer a forma que a autora escreveu. Deve ter sido bem difícil porque vai muito contra a sociedade.
    Parabéns pela resenha. Beijão, Mari Scotti

    ResponderExcluir
  3. Nossa, o tema desse livro é bem diferente e polêmico, já tinha visto, mas não tinha me chamado atenção e nem tinha lido a sinopse. Acho que a autora foi muito corajosa em escrever um livro sobre esse tema.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha, entrou pra minha wishlist! Nunca li um livro com esse tema, fiquei muito curioso! :D

    blogleitorit.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não sei se iria ler este livro.
    Apesar dele mostrar uma história diferente das que estamos acostumados, tenho medo de esperar demais do livro e não gostar da narrativa.
    Acredito que o assunto questionado é interessante. Principalmente porque gera um debate bom. Além do mais, autora colocou uma situação muito dura na vida deles, obviamente algo poderia acontecer.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  6. Oi, Bruna!
    Esse livro foi o responsável pela última ressaca que tive. Eu acabei ele não querendo ler mais nada nessa vida.
    Eu também nunca esquecerei Lochan e seus sacrifícios pela família.
    Eu não achei que o amor deles apareceu do nada e esse livro também me fez questionar sobre o tema.
    Se eu prolongar mais, acabarei por escrever outra resenha dele
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Nossaaaaa que resenha hen... Já li vária resenhas sobre este livro e todas positivas... o tema me chamou muito atenção, tanto que este livro está na minha meta de leituras para este ano.... hehehe

    livros terapias / Fan page

    ResponderExcluir
  8. Drama não é muito meu gênero favorito e em toda minha vida posso dizer que li pouquissimos livros do gênero mas se me interessar a estória estou aberta a tudo,conheço esse livro desde que foi lançado e foi realmente um bafafa por se tratar de incesto..se não me engano até filme tem ou a estória é bem parecida. Posso dizer que Proibido é aquele tipico livro que ou você ama ou você odeia e sinceramente um tapa na sociedade..Amor é amor e ponto independente do tipo que seja.

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/01/resenha-perdida-carina-rissi.html

    ResponderExcluir
  9. Bem, na verdade, o incesto nem é novidade na literatura. Eça de Queirós já promoveu o romance entre irmãos na obra Os Maias. Na época o tema escandalizou e continua escandalizando até hoje. Mas o fato é que isso é apenas uma convenção social, e já houve épocas (há muito tempo, mesmo!) em que os casamentos eram feitos dentro do mesmo clã, ou seja entre irmãos e primos, e o errado era casar com alguém de fora do clã. Gosto de livros com temas ousados!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Apesar de saber que vou chorar e sofrer muito com esse livro, eu morro de curiosidade para lê-lo. O tema do livro é bem polêmico e eu não sei se conseguiria ler, mas sabe quando o livro fica te perseguindo? pois é assim que tem sido. Tenho evitado essa leitura mas sei que em algum momento vou me render e ler. Provavelmente eu vou ter raiva mas acho que vou gostar da história, sinceramente eu não sei.

    ResponderExcluir
  11. Oi Bruna,
    Já amei seu blog só por resenha Proibido, um dos melhores livros da vida :)
    Lindo, lindo, emocionante, tocante, polêmico.
    Me arrasou, me deixou com a ressaca mais hard de todas.
    Nem fui para a faculdade dois dias depois.
    Sei lá, acho que eu não esperava aquele final, não esperava a forma como as coisas aconteceram, foi tudo intenso demais.
    Sobre o romance ser entre irmãos, eu já sabia disso quando comecei a ler e de verdade não me importei.
    A autor inseriu um contexto onde isso foi possível e brilhantemente justificável.
    Só posso dizer que amo com força e só discordo de você ao dizer que ela não poderia ter escrito melhor. Para mim foi na medida certa.

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir
  12. Eu gosto bastante de drama, mas sempre espero o momento pra ler. Eu sou daquelas pessoas que "sentem" o livro, então se for drama, eu muitas vezes fico mal. Por isso, não ler em qualquer momento, senão, já viu... adorei quando falou sobre fazer picadinho dele... deve ser muito bom mesmo, já que gera tantos sentimentos. Eu já estava com vontade de lê-lo, agora então, fiquei mais curiosa ainda.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  13. Olá!!!
    O livro parece ser envolvente e com uma carga emocional grande. E sua resenha mostra todo envolvimento da com ele e os sentimentos envolvidos. Ele aborta temas polêmicos e que são tabu em muitas sociedades. Sua perspectiva me deixou interessada em ler.

    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  14. Gente do céu
    Palmas para sua resenha, a um tempo tenho esse livro e o empurro com a barriga, deixe eu correr para lê-lo.

    ResponderExcluir
  15. O QUEEEE???
    Nossa pela primeira vez vejo um livro desse, e sendo sincera adoro livros desse tipo... que nos colocam a questionar o "certo ou errado", só me choquei um pouco por se tratar de irmãos, mas não custa ler pra ver o que dá!

    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi proibido é um dos meus livros preferidos da vida, sabe? Só de ler a resenha e lembrar da história, meu coração dispara. O que eu senti lendo proibido além de psicólogico foi físico,tive um ataque de ansiedade tamanho meu envolvimento com a história. Hoje eu sinto como se carregasse a história na minha alma. Sou apaixonada por essa trama. Amei a resenha, beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Bruna,
    Confesso que já vi muitas vezes essa capa nas livrarias, mas nunca tive a curiosidade de saber sobre o que se tratava. É um tema polêmico? Com certeza! Mas não chega a ser chocante. Acho que se fosse ler o livro, teria uma visão mais psicológica do que aconteceu com eles, do que emocional.
    Adorei a resenha.
    Bjim!

    Tammy

    ResponderExcluir
  18. Ooi,
    Esse livro realmente gera reações muito diferentes em cada leitor. Não tenho grande curiosidade em ler, mas gostei dos pontos que você ressaltou na resenha, e realmente, esse livro tem que ser lido com a mente aberta.
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  19. É muito bom saber que você achou o final (e na verdade o livro inteiro) surpreendente. Amo essas leituras que nos fazem ter tantos sentimentos conflituosos, a única coisa que não me agrada é essa questão do incesto. Na verdade, queria ter lido esse livro antes de terem me contado que ele tratava disso, agora não sei se vou me animar. Amo tanto a capa!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  20. Olá :)
    Sua resenha foi bem forte, marcante.
    Parece ser um livro de quebra de tabus, mas ainda assim, não sei se leria.
    Realmente o tema incesto não me agrada, mas acho que as pessoas devem fazer k que querem e serem felizes.
    Espero um dia conseguir lê-lo
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  21. Já tinha visto esse livro muitos blogs mas nunca parei para ler sobre. Super concordo com sua resenha, quem disse que é errado? Fiquei pensando nessa situação do livro, pode perceber que ambos foram a âncora um do outro nessa situação difícil. Fiquei curiosa. Quero ler esse livro.
    http://viajandoentrecitacoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro. A história deve ser bem intensa e prender o leitor do começo ao fim.
    Só a capa e o título do livro já me deixaram intrigada.
    Adorei a sua resenha e espero poder ler em breve.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.com.br/

    ResponderExcluir