terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Livros vs E-books

Olá leitores,

Hoje vim falar de um tema um tanto quanto polêmico: e-books vs. livros impressos. Essa discussão é antiga e muitas pessoas restringem-se apenas ao incomodo e preconceitos pessoais. A minha análise e exposições de diferenças (ou não) serão feitas com base em uma leitura de e-book em um dispositivo apropriado, no meu caso, o Kobo.

Adquiri um e-reader por motivos óbvios para mim: falta de espaço. Não nego que tenho uma vontade enorme de ter uma biblioteca particular com milhares de livros e acho que esse é sonho de qualquer leitor fanático não é? Mas, para isso, precisamos de espaço que é uma coisa meio escassa na minha pequena casa. E como isso não pode me impedir de fazer o que amo decidi adquirir o Kobo e me tornei uma pessoa mais feliz ainda. Ele nos dá uma mobilidade muito grande, permite alterar o tamanho da fonte, espaçamento entre as linhas, margens e até a fonte além de tornar possível ler madrugada afora sem incomodar as pessoas com uma luz acesa, mas, o que não é certo, são os preços abusivos cobrados por um e-book que, em alguns casos, chega a ser maior do que um livro impresso. Feitos todos esses esclarecimentos e adendos, abaixo, seguirão minha opinião sobre as diferenças: 

a. Manuseio

Para os amantes do livro, folheá-lo e sentir seu cheiro é indispensável e esse é um dos maiores motivos para existir o preconceito. No caso de tablets e smartphones temos a chance de alterar a forma de mudar a página e o aplicativo consegue simular lindamente o folhear das páginas, mas, nos e-readers, não temos esse prazer. Em relação ao cheio de livro novo, há contras, primeiro que sou uma pessoa extremamente alérgica e um livro acumula muito pó, aí vocês podem me falar: Mas Bruna se você limpar seus livros constantemente eles não acumularão pó. Sim, concordo, mas, mesmo assim, eles costumam atacar minha rinite, principalmente livros mais antigos ou vindos do Sebo, então o cheiro não é tão agradável para mim. Mas, se você não faz o tipo extremamente alérgico, poderá ter livros físicos e e-books e quando quiser sentir o aroma dos livros, basta pegar um físico.

b. Conforto na Leitura

Esse tema é totalmente discutível. Ler um livro no computador, tablet ou smartphone que possuem uma tela de LCD/LED e um brilho intenso faz a vista doer e torna a leitura muito incomoda, mas um e-reader é feito com uma tela e-ink que é equiparada a leitura em papel e, quando há luz natural, pode ser usada sem o brilho e, quando não há luz, o brilho do aparelho não sai de trás da tela – como acontece com o computador, tablet ou smartphone – o brilho sai das laterais e faz com que a leitura fique muito agradável. Outro ponto é o peso de um livro, muitas vezes não imaginamos que isso deve ser levado em conta, mas deve. Imaginem ler os livros do George Martim e carregar cerca de 2kg, dependo da edição, para cima e para baixo, além de precisar segurar o livro com as duas mãos enquanto está lendo. Agora, imaginem ter um aparelho que pesa de 130g a 300g, poder segurá-lo apenas com uma mão e fazer a mesma leitura?

c. Acessibilidade

Ajustar o tamanho da fonte conforme o gosto ou necessidade do leitor pode ser um argumento considerado para maiores de 40 anos – risos – mas, todos deveriam testar isso uma vez. Quem nunca comprou aquele sonhado livro e levou a vida para lê-lo porque a fonte era demasiadamente pequena? Ou aquele livro que era enorme e você imagina mentalmente o porquê da editora fazer isso? Eles poderiam reduzir a fonte e tornar a leitura mais agradável. No e-reader você tem essa escolha.

d. Disponibilidade do Livro

Apesar de um e-reader ter uma bateria que pode durar várias semanas, sem recarga, essa é uma desvantagem. Se você for uma pessoa desorganizada – como eu – e, durante a viagem, esquecer de carregar seu e-reader você pode ficar sem bateria, coisa que não acontece com o livro físico.

e. Compra

Acredito que nesse quesito o e-reader leva grande vantagem. Quando estamos com muita vontade de ler um livro ou precisamos nos deslocar até uma livraria ou efetuar a compra pela internet – que leva, no mínimo, 2 dias úteis. Mas, um e-book fica disponível imediatamente após a confirmação do pagamento e isso sacia a ânsia para ler de forma voraz.

f. Anotações e Marcações

Conheço muitos leitores que teriam um infarto caso alguém se atravesse a deixar qualquer marca em seu livro e, o máximo que fazem, é colocar um post-it naquele quote preferido, mas, no e-book tudo isso é permito, pois pode ser removido e seu livro voltará a ser o que era antes. Você pode destacar um quote, fazer uma orelha no livro e até deixar uma anotação para te lembrar de algo, entretanto, tenho que ressaltar, isso não é tão prazeroso quanto ter um lápis, caneta e um marca texto em suas mãos, mas isso é bom para aqueles que não gostam de riscar seu livro. Outro ponto interessante é a possibilidade compartilhar sua marcação em tempo real em suas redes sociais, sem precisar digitar o texto novamente, isso pode não ser uma vantagem para a maioria das pessoas, mas é algo para se pensar.

g. Autógrafos

Acho que essa é uma das queixas das editoras e autores, pois uma noite autógrafos é uma excelente forma de divulgação e como os e-books serão autografados? Apesar de estranho é possível autografar um e-book, existem aplicativos que permitem ao autor deixar uma mensagem pessoal a cada leitor e até uma assinatura. Esse autógrafo eletrônico é enviado do autor para o dispositivo de leitura digital do leitor, mas, vale salientar, o autógrafo não fica ‘dentro’ do e-book, ele é um arquivo à parte que cumpre bem a função de aproximar os leitores dos seus autores favoritos e pode ser até mais prático não é? O leitor não precisará esperar o autor sair de sua cidade ou país para ter a chance de pedir um autógrafo e poder nem recebe-lo devido à entrega de senhas.

Apenas para finalizar esse imenso post, não o fiz para influenciá-los a adquirir um e-reader ou começar a ler e-books, mas apenas para expor meu ponto de vista. Acredito que um livro nunca será substituído, mas o e-book pode ser algo muito bom para todos nós, desde que seus preços passem a condizer com o que há no mercado.

Espero que vocês tenham gostado e gostaria de saber a opinião de vocês. Em breve, farei um post mostrando como é meu e-reader.


Beijos e até mais!

As fotos e imagens, aqui disponibilizadas, foram retiradas do Google e, caso você seja o autor, peço a gentileza de informar para que eu coloque os devidos créditos.

4 comentários:

  1. Apesar de seus argumentos serem muito bons, e que de fato, eu concordo com alguns pontos, ainda assim, não consigo gostar dessa coisa de e-books. Não sei se o problema está comigo, ou é só uma questão de eu dar uma chance, mas eu simplesmente não consigo ler um livro virtualmente se eu posso tê-lo em minhas mãos. Bom, de qualquer forma, leitura é prazerosa de qualquer jeito, e não importa muito o modo como as pessoas façam isso, desde que façam, e com qualidade. Bjs

    http://desfocandoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Natalia,
      Acho que começar a ler e-books é passar por cima de muitas opiniões. É muito difícil fazer isso. Eu só faço mesmo porque não tenho espaço na minha casa para comprar mais livros físicos e porque muitos autores e algumas novas editoras nos mandam o livro digital, eles estão no começo e não tem ainda o livro físico. No mais, se pudesse escolher, não leria e-books rs.
      Beijos e obrigada pela opinião :)

      Excluir
  2. Bruna, eu tô querendo cada vez mais comprar um e-reader, mas tô em dúvida sobre qual comprar. Tipo, esse Kobo tem como baixar os e-books da Amazon, por exemplo? Acho que não, né... :(
    Enfim, adorei a postagem e concordo com tudinho que você disse. Principalmente na parte do peso pra carregar, pois eu sempre carrego livro comigo, então quando é período de aulas eu acabo deixando o caderno em casa (sim) e levo só uma folha (sim) pra não carregar tanto peso eiuheiueheuiheuihi
    Quero muito ver o post mostrando detalhadamente o Kobo pra ver se me decido de uma vez!

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kemmy,
      Não, não dá. O que você comprar na Amazon vai para o Kindle, o que comprar na Livraria Cultura vai para o Kobo e o que comprar na Saraiva vai para o LEV, até onde eu sei não há essa possibilidade de compras em um site distinto em outro aparelho.
      Não sei como funciona o Kindle nem LEV, mas é possível acrescentar livros de fontes diversas no Kobo. Entre o Kindle e Kobo escolho Kobo e entre o LEV, tenho uma conhecida que tem que fala que não é muito bom, mas vou tentar falar com ela e fazer algo legal!
      Eu já fiz muito disso, principalmente quando lia livros grossos! hahah
      Farei em breve.
      Beijos

      Excluir