sábado, 3 de maio de 2014

Novos Autores #04

Olá leitores!

Como de costume, trago para vocês mais um autor nacional.

A autora escolhida da quinzena é a Tachiana Rodrigues, que esta escrevendo o livro Elizabeth aos Olhos Meus. Como de praxe, fizemos uma pequena entrevista:

1. Nome Completo:

- Thaciana Rodrigues

2. Idade:

- 18 

3. Como você era em relação à escrita/leitura quando mais nova?

- Aprendi a ler aos 6 anos e no mesmo ano escrevi a minha primeira historinha, era sobre um mágico e um coelho, não me lembro mais do que isso. Poucos anos mais tarde elaborei uma nova história que eu e alguns amigos encenamos para os nossos pais em homenagem aos nossos anos de amizade. Depois disso, continuei interessada na leitura, devorava os poucos livros infantis que tinha, tirava as bulas dos remédios e tentava ler mesmo sem entender nada, no banho ficava lendo os rótulos das embalagens, eu gostava de ler tudo que estivesse ao meu redor e ao meu alcance. No entanto, não voltei a escrever textos de autoria própria até os 11 anos, quando fui apresentada ao mundo da poesia e simplesmente me apaixonei. Desde então não parei mais de escrever, comecei com as poesias, aos 12/13 tentei escrever meu primeiro livro, baseado em um roteiro que havia escrito para uma peça do colégio e que meus amigos tinham adorado. Mas, apesar do incentivo, eu não tinha maturidade suficiente e, por também abominar a rotina, logo abandonei o projeto. Depois comecei a escrever mais do que poesias, me aventurei com crônicas e contos e aos 17 comecei pela segunda vez a escrever um livro. Dessa vez, com mais maturidade e bagagem literária, o projeto foi levado a sério e está sendo produzido, o nome é Elizabeth Aos Olhos Meus, os capítulos já estão sendo disponibilizados para leitura no Wattpad no meu perfil (www.wattpad.com/todathaci) e pretendo que o livro esteja pronto até o final do ano.

4. O que te motivou a escrever?

- Na verdade, nada. Eu simplesmente comecei a escrever e gostei disso, escrever para mim não é um meio para um fim, é a finalidade em si, foi o jeito que achei para lidar com as partes de mim que transbordam. Mas, hoje, gosto de saber que existem pessoas que são tocadas de uma forma positiva por minhas palavras. Escrevo para fazer com que as pessoas sintam. Escrevo para aqueles que de tão maltratados pela dor de viver já não querem sentir mais. Eu quero que esses sintam! Eu quero que até quem me leia rapidamente sinta alguma coisa, como quando se olha para alguém por um segundo e antes mesmo de se desviar o olhar o coração já palpita e a saliva some da boca, que fica com sede de mais.

5. Há algum texto/livro/conto que é sobre sua vida ou sobre o que você gostaria de ser?

- Sim, alguns textos são baseados em experiências e emoções que vivi e senti, outros são sobre coisas que eu gostaria de vivenciar, outros ainda são sobre situações imaginárias e sobre como, de certa forma, eu me comportaria nessas situações, que nem sempre eu gostaria de experimentar kkkkkk. Na verdade acho que todo autor, direta ou indiretamente, acaba fazendo de sua obra a sua autobiografia.

6. Você se inspira em algum autor(a)?

- Na minha pré-adolescência minhas maiores influências foram Meg Cabot e Stephenie Meyer na prosa. Na poesia, Cecília Meireles, Mário Quintana e Carlos Drummond de Andrade. Drummond ainda me inspira atualmente em minhas poesias, junto com Fernando Pessoa e Florbela Espanca. Na prosa, minhas maiores inspirações são Clarice Lispector e Machado de Assis.

 

7. Como você imagina o seu futuro?

- Não sou uma mente muito criativa quando o assunto é o futuro, geralmente minha imaginação me leva a pensar em coisas que poderiam ter acontecido no meu passado se eu tivesse agido de outras maneiras. Quando se trata de futuro, para mim é um caminho escuro onde só se consegue enxergar o que está bem aos meus pés, e no momento existem muitos projetos aos meus pés. Estou só no começo da minha caminhada, estou no momento de plantar, espero que no futuro eu possa colher os frutos.

8. Você pretende publicar?

- Sim, já tenho um ilustrador, Vinícius Lemos, trabalhando nos desenhos que pretendo colocar em Elizabeth Aos Olhos Meus e a história está andando em um ritmo bom. No momento que estiver pronta, procurarei algumas editoras que se encaixem no perfil da história para que ela possa ser publicada.

9. Diga-nos seu maior sonho.

- Eu gostaria de marcar de uma forma relevante e bonita o máximo de pessoas que passassem pela minha vida, meu sonho é dar a maior e melhor contribuição para o mundo que estiver ao meu alcance. Afinal, como disse Cora Coralina: Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.

O livro que ela esta escrevendo pode ser lido aqui.

Esse livro não é como os outros. Você precisa lê-lo de olhos bem abertos... Mas como se estivesse de olhos fechados.

Gostaram da autora?

Achei uma fofa e começarei a ler seu livro.

Comentem!

Beijos 




2 comentários:

  1. Gostei da entrevista, não conhecia as obras da autora, mas achei o livro bem interessante...

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Francine,
      Também achei, já adicionei esse livro em minha pequena (enorme) listinha rs.
      Beijos

      Excluir