quarta-feira, 16 de abril de 2014

Um pouco de literatura nacional #06

Bom dia, leitores!

Como sempre, vamos às indicações da quinzena!


Procura-se um Marido, de Carina Rissi

Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou. Cheio de humor, aventura, paixão e emoções intensas, Procura-se um marido vai fisgar você até a última linha.


Feliz por Nada, de Martha Medeiros

Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.” É com a força transformadora de um abraço que Martha Medeiros abre este novo livro de crônicas e é com a mesma singeleza e olhar arguto para o cotidiano que a escritora ilumina algumas das questões mais urgentes do século XXI. A destacada romancista, cronista e poeta, que já teve obras adaptadas para o cinema, para a tevê e para o teatro, fala aos leitores com a sinceridade de um amigo e materializa as angústias e os anseios da sociedade pós-tudo, que vive acuada sob o grande limitador do tempo.

Nesta coletânea de mais de oitenta crônicas, Martha Medeiros aborda temas muito diversos e ao mesmo tempo muito próximos do leitor. A autora tem o dom para aproximar assuntos por vezes fugidios – como é próprio do cotidiano – de questões universais, como o amor, a família e a amizade, e criar lugares de reconhecimento para o leitor, como ao falar de Deus, dos romances antigos e novos, da mulher, de escritores e cineastas que são imortais, de se perder e se reencontrar, do que a vida oferece e muitas vezes se deixa passar. “Feliz por nada”, afirma Martha Medeiros, é fazer a opção por uma vida conscientemente vivida, mais leve, mas nem por isso menos visceral.

Nu, de Botas; de Antonio Prata

Em Nu, de botas, Antonio Prata revisita as passagens mais marcantes de sua infância. As memórias são iluminações sobre os primeiros anos de vida do autor, narradas com a precisão e o humor a que seus milhares de leitores já se habituaram na Folha de S.Paulo, jornal em que Prata escreve semanalmente desde 2010. Aos 36 anos, Prata é o cronista de maior destaque de sua geração e um dos maiores do país. São de sua lavra alguns bordões que já se tornaram populares - como “meio intelectual, meio de esquerda”, título de seu livro anterior e de um seus textos mais célebres -, bem como algumas das passagens mais bem-humoradas da novela global Avenida Brasil, em que atuou como colaborador de João Emanuel Carneiro.

Prata também é um dos integrantes da edição Os melhores jovens escritores brasileiros, da revista inglesa Granta. As primeiras lembranças no quintal de casa, os amigos da vila, as férias na praia, o divórcio dos pais, o cometa Halley, Bozo e os desenhos animados da tevê, a primeira paixão, o sexo descoberto nas revistas pornográficas - toda a educação sentimental de um paulistano de classe média nascido nos anos 1970 aparece em Nu, de botas. O que chama a atenção, contudo, é a peculiaridade do olhar. Os textos não são memórias do adulto que olha para trás e revê sua trajetória com nostalgia ou distanciamento. Ao contrário, o autor retrocede ao ponto de vista da criança, que se espanta com o mundo e a ele confere um sentido muito particular - cômico, misterioso, lírico, encantado.

Qual chamou mais a atenção de vocês?

Beijos!

8 comentários:

  1. Estou curiosa para ler "Procura - se um marido", tenho que admitir que estou bem fraquinha para leituras nacionais, mas já ouvi falar muito bem desse livro e adoro um romance que tenha alguma aventura por traz disso.
    Acho que iria gostar desse.
    Você já leu?
    Beijos
    Dri
    http://livrosleituraseleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li e não é por falta de vontade (é por falta de tempo mesmo)!
      Se um dia ler conte se gostou hahaha
      Beijos

      Excluir
  2. ahmmmmmm quero ler esse livro!!!
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Nunca li nenhum livro dela! Mas todos falam muito bem, e por isso gostaria de ler um dia.
      Beijos

      Excluir
  4. Procura-se um marido é um livro que tenho vontade de ler faz um tempão mas ainda nao comprei, quem sabe eu não compre na bienal? ja estou guardando a grana hahah
    Adorei as outras indicações também, só não conhecia :3
    entao... terminei sim de ler a trilogia :o
    é BEM louco o final, é bom, mas chocante, de fato :3
    Um beijo!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, mas não me lembro que trilogia! hahaha Qual é?
      Eu também tenho vontade de ler Procura-se um Marido; na verdade, tenho vontade de ler muitos outros nacionais.
      Beijo

      Excluir