quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Uma Ilha no Oceano

O lado inocente da crueldade
"Uma Ilha no Oceano" de Annika Thor, apesar de ter sido escrito para crianças, é um livro capaz de tocar qualquer um, independentemente da idade.
A históra é sobre duas irmãs judias - Steffi e Nelli - que são enviadas a uma ilha de pescadores, na Suíça, para fugir da Guerra que se torna cada vez mais inóspita. Os pais das meninas permanecem na Áustria, com esperança de encontrar algum meio de irem para a América. Steffi, a mais velha, e Nelli, a mais nova, acabam sendo separadas, e cada uma delas fica com uma família diferente. A caçula não encontra dificuldades e logo se adapta a nova vida. Já Steffi sente-se constantemente excluída, tanto pela mãe adotiva - a qual mostra indiferença em relação a garota - quanto pelos habitantes da ilha. A única pessoa por quem Steffi se sente acolhida é o pai adotivo, um pescador que passa mais tempo no mar que em sua própria casa. Além da solidão, a mais velha não aceita tão fácil o idioma quanto Nelli. É por essa razão que Steffi passa meses tentando se comunicar com os pais, e até mesmo ajudá-los. Porém, todas suas tentativas são frustradas e, ao longo da história, apesar das dificuldades, Steffi vai se ajustando a nova realidade de forma vagarosa e sutil.

É uma leitura amena e agradável, narrada na perspectiva de uma criança perdida em meio a um mundo cruel, abalado fortemente pela Segunda Guerra Mundial. "Uma Ilha no Oceano" chega a ser uma história paradoxal, que contrasta a desumanidade e a inclemência da época com o tom inocente, puro e infantil.
"Os milhões de quilômetros de estradas de ferro atrás delas eram como um elo que as ligava a Viena; a mamãe e papai. Agora ele fora cortado. Agora estavam sozinhas."
Informações adicionais:
Autor: Anikka Thor
Título: Uma Ilha no Oceano
Editora: Galera Record
Páginas: 237
Nota da Leitora: 4 estrelas

Nenhum comentário:

Postar um comentário