quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

O Testamento do Juízo Final

"Um mergulho no passado sombrio da Alemanha"
"O Testamento do Juízo Final" de James Douglas, é um suspense inebriante por conter não um, mas vários diferenciais dos demais livros do mesmo gênero. O principal deles é o contexto em que se insere o mistério: a Segunda Guerra Mundial.
Tudo começa quando Jamie Saintclair - especialista em recuperar obras de arte - encontra um diário de seu falecido avô- Matthew Sinclair. (A narrativa mescla as aventuras de Jamie com trechos do diário).Porém, para sua grande surpresa e choque, descobre que o velho tinha sido um heroi da Grande Guerra, e fica mais extasiado ainda ao deparar-se com uma espécie de símbolo nazista escondido na contracapa do diário. Inerte à situação, Jamie sai em uma busca desenfreada por respostas e, substancialmente, explicações.
Não obstante, a aventura deixa de ser pessoal quando pessoas à volta do rapaz começam a morrer, e quando o próprio Jamie é atirado à uma linha de trem, em tentativa de assassinato. É nesse momento que Jamie conhece Sarah Grant, uma jornalista de quem ele obtém ajuda em troca de sua história - e com quem viverá uma espécie de romance.

Após muitas pesquisas - e com a ajuda do diário - Jamie nota a semelhança do símbolo nazista com um desenho presente em um salão do Castelo de Wewelsburg, na Alemanha; é então, para o berço da Guerra que Jamie e Sarah se dirigem, onde encontram grandes dificuldades, desafios e muitos perigos. A Alemanha é o marco inicial da aventura, a qual ainda irá levá-los a lugares inóspitos do Tibete, em uma caça ao tesouro.
Em meio a tiros e perseguições, Jamie chega a relutar se vale a pena correr o risco de vida apenas por respostas. Mas, a vontade de saber a verdade sobre o passado sobrepuja todos seus medos e angustias, levando-o a muito mais do que esperava encontrar: uma obra de arte perdida e um objeto capaz de revolucionar ou destruir o mundo. Um objeto que até mesmo Hitler temeu.
"Não há vantagem alguma em desenterrar o passado. Se continuar, tudo que o aguarda é sofrimento."
O mistério em si não é o que mais prende o leitor ao livro. O impressionante é a capacidade de James Douglas em escrever uma estória entrelaçada a fatos verídicos - e horrores - da Segunda Guerra Mundial. O diário de Matthew Sinclar é, inclusive, real, sendo uma das melhores memórias escritas da Guerra. Há relatos minuciosos e é admirável o trabalho que o autor teve para pesquisar toda a informação contida nas páginas do livro. Para quem se interessa por História, "O Testamento do Juízo Final" é o livro perfeito para se ler.
"(...) talvez seja mais verdadeiro dizer que o fedor da morte nunca deixou minhas narinas. (...) Vi os campos. O horror de Belsen nunca vai me deixar; os vivos reduzidos a esqueletos ambulantes, os mortos descartados como refugo, o cheiro de carne em decomposição e o gosto de corpos queimados me meus lábios, o olhar vidrado de crianças condenadas implorando em rostos de velhos. Pessoas debilitadas, esfomeadas, mortas a tiros, enforcadas ou dilacerada por cães. Destruídas fisicamente pela desumanidade do tratamento dado a elas e, mentalmente pela miséria de sua existência e a remoção de qualquer esperança. A aniquilação sistemática de uma raça está além da compreensão."
Informações adicionais:
Autor: James Douglas
Título: O Testamento do Juízo Final
Editora: Jangada
Páginas: 408
Nota da Leitora: 4 estrelas

2 comentários:

  1. Eu não conhecia este livro, mas agora vou querer lê-lo.
    Ótima postagem.
    Abraço.

    ResponderExcluir